Pugilista / Boxe

Pugilista / Boxe

Resumo da profissão

Modalidades:

Presencial

Matérias relacionadas:

Educação Física Psicologia

Idiomas:

Inglês, Português

O Pugilista é um praticante de Boxe que vive desta modalidade, participando em combates e treinando de forma regular. Trata-se de um desporto de combate que faz parte do programa dos Jogos Olímpicos.

O Boxe ou Pugilismo é um desporto de combate que existe desde o Século I. Foi inventado pelos gregos que o incluíram nos Jogos Olímpicos de então.

Durante o domínio dos romanos, tornou-se uma prática especialmente sangrenta. Assim, quando o Império Romano caiu, o Boxe foi proibido e quase desapareceu, até que os ingleses o fizeram renascer das cinzas.

As primeiras regras do chamado Boxe Inglês, que dominou até 1889, foram escritas por Jack Broughton em 1743.

Foram os ingleses que levaram o Boxe para os EUA, onde, atualmente, é um grande sucesso. No início, os Boxeadores eram apenas os escravos, com os seus donos a apostarem dinheiro nas vitórias dos mais fortes.

No Século XIX, a modalidade entrou num período de clandestinidade e ganhou má fama, até que foi legalizada em 1920.

Mas continua a ler para saberes tudo deste desporto de combate.

O que faz um Lutador de Boxe

A vida como Pugilista profissional envolve bem mais do que apenas fazer combates e disputar títulos. É um trabalho duro que exige treino intenso no ginásio.

O Boxeador ou Boxeur, na terminologia em Inglês, tem de reforçar a sua força e melhorar a técnica para poder estar ao mais alto nível nos combates. Mas também precisa de desenvolver estratégias de jogo porque o Boxe não é só bater, sem pensar.

É preciso ter inteligência e preparar cada combate, tendo em conta as características dos adversários. Em parceria com o seu Treinador de Boxe, o Pugilista define uma abordagem concreta para cada luta de modo a explorar as fraquezas dos rivais, e para tentar contornar as suas próprias falhas.

Assim, o Pugilismo profissional exige muita força mental, além de ótimas capacidades físicas, tal como em outros desportos de combate como, por exemplo, o MMA e o Jiu-Jitsu.

Neste âmbito, o corpo é o instrumento de trabalho do Boxeador. Portanto, tem de o tratar com cuidado e respeito, tanto no treino como fora dele.

Isto significa que precisa de cuidar de aspetos como a nutrição e o sono. Mas também tem de fugir de excessos como o álcool ou uma vida social desregrada, por exemplo.

Quais as suas funções

Há várias federações internacionais de Boxe que definem regras diferentes para a modalidade.

Assim, antes de entrarem em combate, é habitual os Pugilistas consultarem os seus Treinadores para aprenderem eventuais regras específicas que precisem de seguir.

Além disso, também discutem táticas para derrotar o adversário com os seus Treinadores. Estes também dão orientações globais quanto ao desempenho dos Boxeadores, apontando-lhes caminhos para melhorarem.

A autoanálise é uma boa parte do processo de preparação. Portanto, os Lutadores de Boxe podem assistir a vídeos dos seus próprios combates, ou dos combates dos adversários, para detetarem e estudarem falhas.

Nesse processo, em conjunto com os Treinadores, podem definir a melhor abordagem para os próximos combates.

Os seus dias são, deste modo, feitos de trabalho, com muito treino e preparo físico e mental a vários níveis.

Depois, nos combates, os Boxeadores lutam por categorias de peso, desde o peso-leve ao médio ou ao peso-pesado. Esse dado é importante para que os Atletas Profissionais partam em pé de igualdade cada disputa de Boxe.

Quanto ganha um Pugilista

Por norma, os Lutadores de Boxe não têm um salário fixo. Assim, ganham por cada combate realizado, sendo que o vencedor recebe uma quantia maior como prémio. Mas o perdedor também é pago só por participar.

Contudo, os Boxeadores profissionais também podem ganhar dinheiro com contratos de publicidade e de patrocínio. Só que, para isso, precisam de atingir um certo estatuto, vencendo combates e destacando-se na modalidade.

Portanto, é uma luta difícil dentro das já complexas lutas do Boxe!

Mas os Pugilistas com maior experiência e melhor reputação na modalidade têm milhões à sua espera em cada combate. Vê o exemplo de Floyd Mayweather Jr. que, em 2015, recebeu cerca de 250 milhões de dólares pelo seu combate com Manny Pacquiao, segundo dados da Forbes.

Saídas no Mercado de Trabalho

A grande capital do Boxe atual é Las Vegas, a “cidade do pecado” como é conhecida. De resto, os EUA são o país do mundo onde a modalidade tem maior potencial, sobretudo em termos económicos.

É a venda de bilhetes para os combates que move uma boa parte dos milhões que o mundo do Boxe gera, a par das transmissões televisivas e dos patrocínios. Portanto, o Pugilista precisa de ganhar “fama”, de se destacar, para ter direito a uma parte desse “bolo” milionário.

Contudo, apenas um pequeno grupo de Boxeadores consegue chegar ao mais alto nível, pois as oportunidades de triunfar na modalidade são escassas.

Muitos Pugilistas são forçados a terem um segundo emprego para conseguirem pagar as contas. Essa realidade acaba por lhes retirar tempo de treino e, portanto, complica o sonho de chegarem aos combates mais importantes.

Contudo, os especialistas do mercado indicam que o interesse pelos desportos de combate vai continuar a crescer nos próximos anos. Além disso, é uma profissão de curta duração, fruto da grande exigência física, pelo que os Boxeadores se reformam cedo.

Deste modo, estão sempre surgindo novas oportunidades para brilhar nessa batalha!

Como entrar no Boxe profissional

Quem sonha entrar neste mundo, tem de preparar-se para treinar durante vários anos, e para praticar muito no ginásio ou na academia do clube.

No início, vais ter que acumular sucessos no âmbito dos combates amadores e de competições nacionais. Dessa forma, vais somar pontos para a tua reputação, além de ganhares experiência e de melhorares as tuas capacidades de Boxeador.

Se quiseres lutar nos EUA, onde o Boxe tem maior expressão, terás de obter uma licença de Pugilista que é atribuída por cada Estado.

A atribuição dessa licença tem critérios rígidos que incluem testes médicos, físicos e psicológicos, bem como um registo “limpo” em termos de desportivismo.

Contudo, também é preciso estar ligado a uma associação profissional de Boxe e ter um Treinador credenciado.

Por este motivo, muitas vezes, os Boxeadores optam por integrar clubes ou equipas de Boxe para conseguirem melhores oportunidades para combater.

Mas como é uma carreira de curta duração, também é preciso começar bem cedo a preparar a retirada. Muitos Pugilistas acabam por ficar ligados ao Boxe depois de se despedirem dos ringues, agarrando carreiras como Treinador, Comentador Desportivo de Boxe ou até Apresentador de eventos da modalidade.

Neste sentido, o conselho que te damos é que tenhas calma, treina muito e foca-te no teu objetivo!

Onde aprender Boxe

O primeiro passo para aprender a praticar Boxe é procurar um ginásio ou um clube que ensine a modalidade. Quem deseja ser profissional, deve começar este treino o mais cedo possível.

Além disso, é preciso que esta preparação física permita a participação em combates amadores, para ir ganhando experiência.

Na escolha do local certo para aprenderes este desporto de combate, deves ter cuidado em verificar quem são os Treinadores, pois isso pode fazer toda a diferença num bom ou mau treinamento.

Para te ajudar, vamos deixar de seguida alguns links para começares a tua busca pela melhor formação em Boxe…

Portugal:

Brasil:

Agora que já conheces melhor o mundo do Lutador de Boxe, bem como os principais desafios e dilemas de quem anda no Pugilismo, estás decidido a abraçar esta profissão? Se achas que tens as capacidades físicas e mentais certas, começa já a treinar! Torcemos pelo teu sucesso.

Contudo, se ainda tens dúvidas quanto ao que queres fazer com o teu futuro, faz Testes Vocacionais para encontrares outras alternativas adequadas ao teu perfil.

Partilhar Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top