Anatomopatologista

Anatomopatologista

O Anatomopatologista, ou médico de anatomia patológica, é aquele que faz o diagnóstico de condições patológicas de órgãos, tecidos ou fluidos. Os anatomopatologistas são os verdadeiros responsáveis pelo diagnóstico de tumores, malignos e benignos, infeções (infecções) e inflamações.

Outros nomes para esta profissão: Médico de anatomia patológica

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho Solitário, Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

A anatomia patológica é uma das especialidades da medicina e, embora as pessoas não conheçam muito, é fundamental no diagnóstico precoce de doenças, aumentando grandemente a probabilidade de cura e sobrevida dos pacientes.

É comum que, mesmo durante o curso de medicina, os estudantes não entendam bem esta especialidade, não sabendo ao certo o que faz, o que leva a uma procura relativamente baixa para esta especialidade.

Sendo assim, é uma oportunidade para aqueles que procuram uma especialidade não tão concorrida como a cardiologia ou pediatria, por exemplo, mas não menos interessante.

Quer saber mais sobre esta profissão? Então não perca tempo e saiba, aqui, o que faz um médico anatomopatologista no seu dia a dia, quais as funções que desempenha, as possíveis saídas no mercado de trabalho, e o que precisa fazer para entrar nesta carreira de futuro!

O que faz um Anatomopatologista?

O anatomopatologista é o médico que faz o diagnóstico de doenças por meio de um exame microscópico ou macroscópico de tecidos e células.

Ele não lida, propriamente, com os pacientes, tendo um trabalho muito focado em laboratório, fazendo análises aos materiais para encontrar alterações provocadas por doenças.

Depois de feita uma análise ao material colhido, o médico de anatomia patológica confirma o diagnóstico e também define qual o estádio (estágio) da doença, podendo ser uma inflamação, infeção (infecção), tumor benigno ou cancro (câncer).

Sendo assim, este profissional tem uma enorme responsabilidade nos seus ombros, pois um erro de diagnóstico poderá condenar o paciente.

Imagine que o paciente está com suspeita de cancro (câncer) do pulmão. É feita uma biopsia e enviado o material para a anatomia patológica. O patologista dá o diagnóstico de benignidade e o paciente não é tratado para cancro.

O paciente só voltará a procurar o hospital quando surgirem sintomas graves da doença, quando o estádio (estágio) da doença já está muito avançado e pouco, ou nada, se pode fazer. Então, o diagnóstico errado da anatomia patológica levou à morte desse paciente.

Como podemos perceber facilmente, esta especialidade médica não pode ser levada de ânimo leve, pois o seu diagnóstico pode, efetivamente, ditar a vida ou a morte do paciente.

Além disso, ele é responsável por determinar o estádio (estágio) da doença, o qual é determinante para a escolha do melhor tratamento a fazer.

Para proceder ao diagnóstico e estadiamento da doença, o médico anatomopatologista analisa o caso clínico do paciente antes de mais nada.

Depois analisa o material que passou por um processo (processamento) histológico no laboratório, e emite um relatório (laudo) anatomopatológico com o diagnóstico e o estadiamento, o qual será enviado ao médico que está a acompanhar o paciente.

Quais as suas funções

O anatomopatologista tem como função principal fazer o diagnóstico de doenças por meio de exames macroscópicos de peças cirúrgicas (órgão, ou partes dele) e exames microscópicos (tecidos e células).

Como se trata de uma área de ampla atuação, os médicos de anatomia patológica poderão trabalhar em diferentes áreas. Podem, por exemplo, dedicar-se ao desenvolvimento e pesquisas científicas, ou podem, antes, dedicar-se ao estudo da história natural das doenças.

Podem, ainda, por exemplo, especializar-se em citologia (citopatologia), ou dedicar-se à elaboração de relatórios (laudos / pareceres) anatomopatológicos usando a técnica da imunohistoquímica.

Os anatomopatologistas podem, também, optar por realizar autópsias (necrópsias), tanto ao nível da medicina legal ou forense, como ao nível hospitalar ou verificação de óbito.

Podem ainda seguir a carreira académica, dando aulas para alunos universitários e fazendo palestras e congressos médicos, nos quais discutem casos clínicos.

Estes são apenas alguns dos muitos exemplos das funções destes especialistas.

Saídas no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o médico anatomopatologista é muito bom, até porque muitos dos estudantes de medicina não escolhem esta especialização por falta de informação prática. Por essa razão, existe falta de profissionais especializados e qualificados em anatomopatolgia. Sendo assim, é uma excelente oportunidade para aqueles que venham a escolher esta especialidade médica.

A juntar à falta de profissionais, existe uma crescente procura dos serviços prestados por eles, pois existe uma necessidade cada vez maior de diagnósticos precisos de neoplasias (tumores benignos e malignos) para que o tratamento seja eficaz.

Poderá atuar em hospitais, públicos e privados, laboratórios e em institutos de medicina legal.

Como entrar na carreira de Anatomopatologista

Em Portugal, para seguir a carreira de anatomopatologista deverá seguir o curso de Medicina e depois fazer a especialização em Anatomia Patológica, a qual tem duração de 5 anos e consiste num internato, cujo primeiro ano é de formação comum a todas as especialidades.

No final da especialização fará um exame final da especialidade, cuja aprovação é obrigatória para poder exercer, assim como a sua inscrição na Ordem dos Médicos.

No Brasil, deverá seguir o curso de Medicina e fazer a Residência Médica em Patologia, com duração de três anos. Durante a residência médica, fará treinamento em citopatologia, patologia cirúrgica e necrópsia.

Embora não seja obrigatório, é uma mais-valia obter o título de especialista em patologia, o qual se consegue com a aprovação do exame da especialidade realizada pela SBP.

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Quer uma especialidade médica que não tenha muita concorrência e que esteja na vanguarda dos tratamentos? Então, com toda a certeza, vai ter um futuro brilhante como anatomopatologista. Invista na sua educação, mantenha-se atualizado, e será um profissional de renome!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima