Guia de Astroturismo

Guia de Astroturismo

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Presencial, Ar Livre

Matérias relacionadas:

Educação Física Física Química

Idiomas:

Inglês, Português

O Guia de Astroturismo é um Guia do Céu, como também é designado, uma vez que o seu trabalho é acompanhar turistas em viagens de observação do céu.

Trata-se de um tipo de Turismo sustentável que está em expansão, com um crescente número de interessados na observação das estrelas.

A procura pelo Turismo Astronómico, ou de Astronomia, tem crescido a olhos vistos nos últimos anos. A pandemia de covid-19 veio acelerar ainda mais essa tendência, uma vez que cada vez mais pessoas procuram experiências únicas em contacto com a natureza.

O trabalho do Guia de Astroturismo passa, precisamente, por guiar as pessoas por viagens pelas estrelas. Assim, acompanha turistas em passeios, tendo o céu como a atração principal.

Já te imaginaste a dormir à luz das estrelas, no meio de um lago, com a noite escura a rodear-te por completo? Esse é um dos tipos de atividades que o Astroturismo pode proporcionar.

Mas vem entender melhor o que é isto do Astroturismo e qual é o papel de um Guia Astronómico.

O que é o Astroturismo

Estás a imaginar cruzeiros intergalácticos, voos a Alfa Centauri ou viagens às luas de Júpiter? Nada disso! O Astroturismo é bem mais terra à terra, mas com os olhos no céu.

Este tipo de turismo passa por observar os céus, analisando e apreciando os mais variados fenómenos astronómicos.

Assim, em vez de aproveitar praias e montanhas verdes, ou monumentos imponentes, o turista de Astroturismo disfruta das estrelas, das constelações, dos planetas e de outros fenómenos do universo da Astronomia.

O Deserto do Atacama, no Chile, e o famoso Joshua Tree National Park na Califórnia (EUA) são dois dos locais de Astroturismo mais conhecidos do mundo.

Mas a região do Alqueva, no Alentejo português, também está certificada pela UNESCO como destino para observar constelações, pois apresenta condições únicas, com a ausência de nuvens e a escuridão plena, para o efeito.

No Brasil, Brazópolis, na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, é outro local muito conhecido pelos Guias Astronómicos. É lá que se encontra o Observatório do Pico dos Dias (OPD), um dos mais conceituados do país.

O que faz um Guia de Astroturismo

O Guia de Astroturismo tem como missão guiar sessões de observação astronómica. Podem ser de dia, ou à noite, mas as mais espetaculares são as que se realizam pela noite, para apreciar as maravilhas do céu noturno.

Estas visitas astroturísticas podem ser organizadas por observatórios ou planetários, mas também por empresas turísticas.

Além da Astronomia em si, podem também ser rotas temáticas, misturando, por exemplo, a paixão do vinho e das estrelas, ou percursos à luz da lua. Pelo meio, podem incluir atividades de fotografia noturna, acampamentos debaixo das estrelas, ou ainda atividades de arqueoastronomia, ou seja, mesclando Arqueologia e Astronomia.

Mas os Guias Astronómicos também podem conduzir observações solares promovidas por miradouros e observatórios.

Contudo, a vida deste profissional vive, sobretudo, momentos marcantes a guiar turistas por fenómenos como eclipses solares, chuvas de estrelas ou a chuva das Perseidas, a mais impressionante chuva de meteoros.

Todavia, os pontos altos serão experiências como a observação da aurora austral que se pode ver na Nova Zelândia, ou da aurora boreal, cuja visão privilegiada ocorre em países como Islândia, Canadá e Noruega.

Independentemente de tudo isso, o papel do Guia de Astroturismo passa sempre por ajudar os turistas a entenderem o que se vê no céu. Assim, tem de explicar conceitos como constelações, equinócios e solstícios, entre outros tópicos.

Quais as suas funções

As funções do Guia de Astroturismo passam por fazer as sessões guiadas, mas também por as planificar. Portanto, tem de orientar todos os aspetos fundamentais associados. Mas tudo depende do tipo de trabalho que tiver.

Se estiver ligado a uma empresa turística, ou a um observatório, todo esse trabalho de organização pode ser orientado por outras pessoas. Mas se for freelancer, ou tiver a sua própria empresa, terá de tratar também dos aspetos burocráticos.

Assim, será importante pensar nas questões mais práticas, por exemplo, em garantir que os turistas levam agasalhos e roupa confortável, no caso de observações noturnas em zonas de montanha, por exemplo. Além disso, deve desafiá-los a levarem alguma comida, e bebida, bem como lanternas e luzes frontais.

Contudo, como Guia de Astroturismo, o grau de responsabilidade é maior. Portanto, terá também de levar um kit de primeiros socorros. Por outro lado, será importante levar uma bateria externa para o telemóvel.

A questão da segurança é também fundamental. Portanto, tem de conhecer bem o terreno onde vai decorrer a sessão de observação. Assim, pode ter de o inspecionar previamente, para detetar eventuais riscos ou problemas.

Além disso, tem de saber usar equipamentos de observação como, por exemplo, telescópios. Até porque precisa de ensinar os turistas a observarem corretamente o céu com eles.

Mas também tem de ter à mão instrumentos como bússola, planisfério celeste, um mapa do céu e óculos de proteção, por exemplo, se for observar eclipses solares.

Portanto, é um trabalho bem desafiante. Fica connosco para saberes como entrar neste mundo!

Quanto ganha um Guia de Astroturismo

Os salários na área do Turismo, podem ser muito variáveis, pois dependem de vários aspetos. Assim, dados como a área de atuação e a experiência do profissional têm peso no ordenado.

No caso do trabalho de um Guia de Astroturismo passa-se o mesmo. Mas quem trabalhar a tempo inteiro, por exemplo, ligado a um observatório ou planetário, pode ter um ordenado confortável.

Mas repara que, nessa área, há pessoas que são Guias apenas em part-time, enquanto têm outras ocupações.

Portanto, tudo depende muito da realidade de cada um.

Saídas no Mercado de Trabalho

O Astroturismo é uma tendência recente, e em ampla expansão, no setor do Turismo. É uma área que está ligada ao Ecoturismo, pois também defende a Sustentabilidade. Repara que as observações astronómicas noturnas precisam de condições ideais, sem poluição luminosa.

Assim, o “Turismo de Estrelas” surge como uma nova forma de dinamizar a economia.

Mas está ainda em fase muito emergente em alguns países, como em Portugal e no Brasil. Portanto, é uma boa oportunidade de futuro para quem quer ter um negócio próprio, pois o mercado continua pouco explorado.

Todavia, já há oportunidades a surgirem para quem quer ser Guia dos Céus, como também se chama a estes profissionais.

As atividades de observação astronómica começam a fazer parte dos programas de várias empresas turísticas, sobretudo as que se situam em áreas privilegiadas para o Astroturismo.

Roteiro Internacional de Astroturismo com selo de qualidade

Há até um roteiro internacional de Astroturismo que é certificado pela Fundação Starlight que também organiza cursos para Guias.

Esta Fundação atribui o selo “Destino Turístico Starlight”, que é apoiado pela UNESCO e pela Organização Mundial do Turismo (OMT/UNWTO), aos locais com baixa poluição luminosa e que, portanto, permitem uma observação única do céu, durante a noite.

Trata-se de mais uma forma de valorizar o Astroturismo. Assim, também é mais uma oportunidade que deves aproveitar, pois esse selo atrai mais turistas.

Em termos de saídas profissionais, o Guia de Astroturismo pode trabalhar em planetários e observatórios astronómicos e astrofísicos. Mas empresas de turismo, ou até Comunidades Intermunicipais, também podem empregar estes profissionais.

Há quem aponte este tipo de turismo sustentável como uma forma de incentivar o Turismo Rural, já que o campo é, por excelência, o melhor local para observar as estrelas e os fenómenos astronómicos.

Como entrar na carreira de Guia de Astroturismo

Não existe um caminho certo, ou ideal, para entrar na profissão de Guia de Astroturismo. Contudo, é importante ter formação nas áreas do Turismo e/ou da Astronomia, pois estamos num tipo de Turismo virado para clientes mais exigentes.

Repara que podes até ter a Astronomia como hobby, mas será sempre fundamental complementares os teus saberes com cursos, ou workshops, formais. Isso vai reforçar o teu currículo e as tuas possibilidades no mercado de trabalho.

Além disso, tens de saber tudo sobre conceitos como o sistema solar, as estrelas e o seu ciclo de vida, entender a diferença entre Astronomia e Astrologia, bem como saber de constelações, astros e mecânica celeste.

Mas precisas também de conhecer os equipamentos de observação (por exemplo, telescópios e binóculos) e de saber usá-los.

Portanto, para entrares no mercado de trabalho, prepara-te bem, com os saberes e a formação certos, pois o sucesso sorri aos que melhor se armarem para o dia a dia.

Onde estudar Astroturismo

Os cursos de Astroturismo que existem são, sobretudo, workshops ou formações de curta duração. Mas, mesmo assim, a oferta não é muita.

Portanto, só tens de ter atenção, por exemplo aos observatórios ou às regiões que estão a apostar no Astroturismo, para ficares a par destas formações.

Em alternativa, podes fazer formações em Astronomia, complementando-as com cursos na área do Turismo. Assim, ficarás com uma formação completa.

Vamos ajudar-te nessa escolha, com as seguintes opções que podem ser do teu interesse…

Portugal:

Brasil:

Outros:

Agora que já confirmaste o que faz um Guia de Astroturismo e que estás a par dos desafios da profissão, sentes que é o caminho que queres seguir? Avalia o teu perfil, aproveita e faz os nossos Testes Vocacionais para teres a certeza se será a carreira adequada para ti.

E se estás mesmo decidido, segue em frente. Terás certamente um excelente futuro! Estamos a torcer pelo teu sucesso.

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top