Neurorradiologista

Neurorradiologista

O Neurorradiologista é um médico especializado em Neurorradiologia. Sem dúvida, uma das profissões de maior futuro! Até porque é uma das especialidades médicas que mais tem avançados nos últimos tempos, com equipamentos e técnicas inovadoras que transformam o diagnóstico e tratamento nos hospitais!

Outros nomes para esta profissão: Médico Neurorradiologista

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Materiais e Tecnologias, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

Com toda a certeza, foram vários os benefícios que a neurorradiologia trouxe para o tratamento dos pacientes com anormalidades na cabeça, pescoço e sistema nervoso central.

Esta especialidade trouxe, e vai trazer ainda mais no futuro, novas técnicas de diagnóstico, novas formas de tratamento, oferecendo mais qualidade de vida para os doentes, assim como maiores probabilidades de cura.

Se queres uma profissão de futuro, que esteja na vanguarda do conhecimento médico, então pondera a especialidade de neurorradiologia. Para saberes mais sobre a rotina deste profissional, o que faz, quais as funções que desempenha, as saídas no mercado de trabalho, e o percurso académico que tens de seguir, então continua a ler este artigo! Nós dizemos-te tudo o que precisas saber!

Vem connosco!

O que faz um Neurorradiologista?

O neurorradiologista é responsável por identificar anormalidades no sistema nervoso, pescoço, assim como na cabeça. Para isso, ele usa os seus conhecimentos em neurologia e radiologia, permitindo diagnosticar essas anormalidades, e tratá-las de forma eficaz e precisa.

O sistema nervoso é constituído pela medula espinal e pelo encéfalo, e é responsável por coordenar todas as ações no nosso corpo, pois leva as informações necessárias por meio das células nervosas.

A neurorradiologia permitiu que muitas doenças que afetam o sistema nervoso, a cabeça e o pescoço, fossem diagnosticadas sem que fosse preciso proceder à cirurgia. Como podemos perceber, o diagnóstico é feito mais rápido, e com procedimentos não invasivos.

Sem dúvida, a maior vantagem dos avanços tecnológicos nesta área da medicina é que, agora, existem técnicas de avaliação e tratamento de doenças que, antes, eram consideradas incuráveis. O aneurisma, por exemplo, não tinha cura, até agora!

De entre as várias doenças que os neurorradiologistas diagnosticam e tratam, podemos falar aqui de:

  • Tumores na cabeça – Malignos ou benignos, os quais têm origem no crescimento anormal de células.
  • Tumores podem ser malignos (cancerígenos) ou benignos, e surgem pelo crescimento anormal das células.
  • AVC (Acidente Vascular Cerebral) – Acontece quando o fluxo de sangue no cérebro é interrompido, deixando o órgão sem acesso a nutrientes e oxigénio e, caso não seja tratado a tempo, pode matar.
  • Aneurisma Cerebral – Diz respeito a uma dilatação na parede de um vaso do cérebro, podendo representar risco de vida.
  • Edema cerebral – Inchaço e aumento de pressão intracraniana causada por líquido numa determinada região do cérebro, ou em todo o órgão.
  • Traumatismo craniano – Lesão na cabeça cuja gravidade depende da área afetada.

Quais as suas funções

O neurorradiologista tem como principais funções o diagnóstico e o tratamento, sempre que possível, de doenças do sistema nervoso, cabeça e pescoço.

A grande vantagem, e graças aos avanços tecnológicos na área da saúde, é que os exames de diagnósticos e os tratamentos são minimamente invasivos.

Tendo em conta que as áreas do corpo que são alvo da neurorradiologia são vitais e complexas, é fácil perceber a grande importância deste médico especialista.

A neurorradiologia divide-se em duas grandes áreas de atuação: diagnóstica e intervencionista (terapêutica).

No caso da neurorradiologia diagnóstica, o médico especialista faz exames para diagnosticar anormalidades na cabeça, pescoço, e sistema nervoso. Os exames levados a cabo usam alta tecnologia, pois facilitam no diagnóstico precoce.

De entre os exames mais usados estão as ressonâncias magnéticas e as tomografias. Estes podem ser usados para confirmar uma suspeita médica, assim como para investigar possíveis problemas. São usados, também, para fazer o acompanhamento da evolução do tratamento feito pelo paciente.

No caso da neurorradiologia intervencionista, ou terapêutica, o médico neurorradiologista usa da mais moderna tecnologia para levar a cabo procedimentos minimamente invasivos, com o intuito de tratar as patologias apresentadas pelos pacientes.

O tratamento de pacientes por parte dos neurorradiologistas veio diminuir bastante a necessidade de cirurgias que, tratando-se de áreas muito complexas e frágeis, representavam um risco acrescido para os pacientes.

Saídas no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para todos os profissionais formados em Medicina é muito bom. A verdade é que a procura de serviços médicos aumenta de ano para ano, muito pelo aumento da esperança média de vida, mas também pelo aumento da procura deste profissionais para garantir qualidade de vida, e também diagnósticos precoces de doenças.

Apesar deste aumento da procura dos serviços médicos, não tem havido um aumento grande de profissionais formados na área. Ou seja, existe uma falta de médicos. Este é um cenário comum à maioria dos países, talvez todos!

Por isso, se seguires a carreira de medicina, e se te especializares em neurorradiologia, encontrarás uma vaga de emprego com facilidade.

A maioria das vagas está nos hospitais públicos, mas é possível trabalhar em hospitais privados e clínicas.

Se quiseres, podes também seguir a carreira académica, dando aulas para alunos do curso de medicina, assim como para alunos de outros cursos da área da saúde.

A investigação e pesquisa é também uma possibilidade, não só a partir das universidades, mas também em institutos de pesquisa.

Como entrar na carreira de Neurorradiologista

Em Portugal, para entrares na carreira de Neurorradiologista, precisas, antes de mais nada, concluir o mestrado integrado em Medicina (6 anos). Depois concluis um ano de internato médico comum a todas as especialidades, e só depois entras no internato médico da especialidade de Neurorradiologia (60 meses).

Durante o internato da especialidade, vais frequentar estágios em:

Depois tens de escolher entre estes estágios opcionais:

  • Cervicofacial e da Base do Crânio
  • Neurorradiologia Pediátrica
  • Técnicas Avançadas
  • Técnicas de Diagnóstico e Terapêutica Vascular e Não-Vascular

Para atuar como médico neurorradiologista, é obrigatório estares inscrito na Ordem dos Médicos.

No Brasil, assim como em Portugal, tem de concluir a faculdade de Medicina, com duração de 6 anos, e depois fazer a residência médica na especialidade de Neurorradiologia (2 anos).

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Se queres ser neurorradiologista, então precisas dedicar-te muito ao longo de toda a tua formação, tanto teórica como prática. É um percurso longo e muito difícil, mas a verdade é que todo esse esforço vai valer muito a pena! Força!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima