Osteopata

Osteopata

Resumo da profissão

Modalidades:

Presencial

Matérias relacionadas:

Biologia Matemática Química

Idiomas:

Inglês, Português

O osteopata é um terapeuta que trabalha maioritariamente com músculos, articulações e coluna vertebral. A osteopatia tem como objetivo melhorar os sistemas circulatório, nervoso e linfático, mas que “olha” para o indivíduo de forma global, focando mais nas causas do problema e não apenas nos sintomas.

A osteopatia é uma terapia complementar, a qual é usada em conjunto com os tratamentos convencionais com o objetivo de melhorar a saúde dos pacientes.

Se gostas de biologia humana e se as áreas ligadas à saúde te interessam, então este artigo é para ti. Vamos mostrar-te o que é e para que serve a osteopatia, o que faz um osteopata, quais as suas funções, as saídas profissionais, assim como dicas úteis para entrares nesta profissão com toda a força.

Vens connosco?

O que é Osteopatia e para que serve?

A osteopatia é uma técnica que atua ao nível do sistema neuro-músculo-esquelético com o objetivo de prevenir e regular o nosso corpo para melhorar a saúde como um todo. Por isso, é usada de forma complementar aos tratamentos de saúde tradicionais.

Esta tem como princípio de que o nosso bem-estar está dependente do bom funcionamento de todos os sistemas do nosso corpo e, como tal, a osteopatia regula esses sistemas de uma forma global, centrando-se nas causas e não só nos sintomas.

Assim, a osteopatia faz um diagnóstico diferencial e o tratamento é feito sem recurso a fármacos. As pessoas que se submetem à osteopatia procuram uma melhoria da sua saúde geral, do funcionamento do organismo, assim como uma mais rápida recuperação.

Englobando conhecimentos de medicina alternativa, os tratamentos de osteopatia dão-se por meio de técnicas manuais, semelhantes a massagens, as quais permitem restabelecer o equilíbrio entre o corpo e a mente.

A osteopatia também tem um caráter preventivo, com o intuito de evitar que as pessoas com disfunções assintomáticas vejam a ter sintomas ou dores.

As pessoas procuram um tratamento de osteopatia para diversos problemas de saúde, entre os quais:

  • Cefaleia (principalmente a que tem uma origem tensional)
  • Espasmos musculares
  • Disfunção da coluna
  • Lombalgia, Dorsalgia, Cervicalgia e Cervicobraquialgia
  • Torcicolo
  • Luxações
  • Inflamação nervosa
  • Contratura muscular
  • Hérnia discal
  • Dor ciática
  • Tendinite

Qual a diferença entre Fisioterapia e Osteopatia?

A fisioterapia e a osteopatia tratam, muitas vezes, as mesmas condições. No entanto, as abordagens feitas são diferentes. A fisioterapia foca apenas nos sintomas apresentados e o tratamento é focalizado na área dolorida. Já a osteopatia olha para o todo e trata o sistema e não o sintoma.

Embora as duas terapias tratem as mesmas condições, elas podem ser complementares e trazer benefícios uma para a outra.

Existem também condições específicas que devem ser sempre tratadas pelo fisioterapeuta, entre as quais destacamos quadros pós-cirúrgicos ou pós-lesão.

Qual a diferença entre Osteopatia e Quiropraxia?

Embora a osteopatia seja, muitas vezes, confundida com a quiropraxia, elas não são terapias iguais. A osteopatia envolve muitas técnicas de tratamento que atuam em todo o sistema neuro-músculo-esquelético, enquanto a quiropraxia está mais voltada para o tratamento ou alívio de dores agudas da coluna vertebral.

A osteopatia também procura restabelecer o equilíbrio entre corpo e mente, tentando procurar a causa das dores sentidas. Já a quiropraxia limita-se às áreas doloridas, fazendo uma massagem mais direcionada para alinhar os ossos.

O que faz um Osteopata?

O osteopata é o profissional que realiza tratamentos de osteopatia. Assim, ele trata e previne vários problemas de saúde, melhorando o bem-estar de quem procura os seus serviços. Este profissional utiliza apenas recursos não-medicamentosos, ou seja, não trata doenças com medicamentos.

Ele faz uma abordagem terapêutica ampla, de corpo e mente, usando apenas recursos manuais. Tendo em conta que o osteopata tem por base o equilíbrio de corpo e mente para o tratamento e/ou alívio dos sintomas apresentados, toda a terapêutica é dirigida a encontrar e corrigir desequilíbrios.

Através de massagens, alongamentos e manipulações físicas, este profissional consegue melhorar a mobilidade das articulações, diminuir dores, melhorar a circulação sanguínea e resolver questões relacionadas a tensão muscular (muitas vezes causada por más posturas, stress e sedentarismo).

Quais as suas funções

As principais funções do osteopata são diagnosticar e tratar problemas de saúde, como disfunções na coluna vertebral, lombalgias, cervicalgias, dor ciática, tendinites, hérnia discal, entre outros.

Para realizar o diagnóstico, o osteopata faz várias perguntas para conhecer o historial do paciente. O objetivo é perceber qual a razão, ou razões, que o levaram a procurar a osteopatia, de forma a descobrir a origem do problema.

Depois de uma primeira avaliação, ele faz uma estratégia de tratamento e realiza o primeiro tratamento. Regra geral, os pacientes já sentem uma melhoria dos sintomas apresentados nesta primeira sessão, mas é importante que se implemente uma estratégia completa de tratamento para que os sintomas desapareçam e não regressem.

Caso o quadro clínico não possa ser resolvido usando a osteopatia, o profissional encaminha o paciente para a especialidade médica mais ajustada ao seu problema de saúde.

É comum, também, que este profissional dê conselhos sobre mudanças nas rotinas e hábitos de vida, de forma que os pacientes não “alimentem” as suas dores.

Diferença entre Osteopata e Ortopedista

O ortopedista é um médico especialista em ortopedia. Ele realiza operações ou então recomenda um tratamento (medicamentoso e/ou fisioterapia ortopédica).

A osteopata trabalha com manipulação de tecidos e pode tratar questões ortopédicas, mas também trata muitas outras questões não-ortopédicas. No entanto, quando falamos de problemas ortopédicos, devemos sempre procurar um médico ortopedista, o qual poderá encaminhar, ou não, para um osteopata ou fisioterapeuta.

Saídas no Mercado de Trabalho

Em Portugal, a procura por osteopatas tem crescido bastante, muito pela divulgação dos benefícios desta terapia. No entanto, ainda existe uma certa resistência por ser uma “não-ciência”. Apesar de uma certa resistência, a taxa de empregabilidade está em cerca de 80%, o que demonstra o rápido crescimento desta profissão.

No Brasil, a osteopatia está bem mais implementada e é, muitas vezes, aconselhada pelos próprios profissionais de saúde. Por isso, a procura pelos serviços de um osteopata é muito maior.

Em ambos os países, podes ser contratado por uma clínica ou espaço de bem-estar para fazeres parte da equipa de trabalho, mas também tens a possibilidade de oferecer os teus serviços como profissional autónomo (em clínicas e espaços de outros, ou num espaço teu).

O setor desportivo tem sido um dos que mais tem contratado os serviços de osteopatia. Portanto, trabalhar em clubes desportivos, espaços de desporto (como ginásios, por exemplo) também pode ser uma opção.

Como entrar na carreira de Osteopata?

Em Portugal, para seguires a profissão de osteopata tens de fazer a licenciatura ou curso de especialização em osteopatia. Este é um curso que tem duração de 4 anos (8 semestres) e permite-te seguir para estudos pós-graduados, caso queiras.

No Brasil, para seguires a profissão de osteopata tens de primeiro fazer a graduação em fisioterapia e só depois te podes especializar em osteopatia.

Esta carreira é regulamentada pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) e é ele que te vai qualificar como fisioterapeuta capacitado para teres a especialização de osteopata.

Onde estudar para Osteopata?

Como vimos, a formação para seres osteopata difere um pouco em Portugal e no Brasil. Assim sendo, deixamos-te aqui algumas opções de formação para ambos os países. Confere!

Portugal:

Brasil:

Se te interessas pelo corpo humano, se gostavas de trabalhar numa área ligada à saúde e bem-estar, mas se estás à procura de uma profissão além das convencionais, esta pode ser a escolha acertada.

Se queres tornar-te osteopata, não deixes de procurar uma formação de excelência e não desistas dos teus sonhos. Sucesso!

Partilhar Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top