Professor do Ensino Especial (Educação Especial e Inclusiva)

professor do ensino especial

Ser Professor do Ensino Especial, educação especial e inclusiva, é uma das mais nobres profissões que existem. A educação especial foca-se em crianças e adolescentes que sofram de algum tipo de deficiência motora e/ou intelectual. Sendo assim, estes profissionais são de extrema importância quando falamos na inclusão de todos na sociedade.

Outros nomes para esta profissão: Professor de Educação Especial, Educação Inclusiva, Educador Especial, Docente de educação especial

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 1000€ - 1500€
  • Empregabilidade: Média
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Línguas, Literatura, Matemática
  • Idiomas: Inglês, Português

Esta é uma área de difícil atuação, mas, ao mesmo tempo, é de enorme reconhecimento e gratificação pessoal, tendo em conta que fazemos realmente a diferença na vida destas pessoas.

Se está a pensar especializar-se nesta área, saiba que não é um caminho fácil, mas também poderá mudar a sua vida, e para melhor!

Veja neste artigo o que faz o professor de ensino especial, quais as funções que desempenha no seu dia a dia, as saídas no mercado de trabalho e o que precisa fazer para se especializar nesta área.

O que faz um Professor do Ensino Especial?

O professor do ensino especial trabalha somente com crianças com necessidades Educativas especiais.

Tendo em conta que, atualmente, em Portugal, as escolas públicas do ensino regular não podem recusar crianças com este tipo de necessidades, respeitando assim a inclusão de todos, o professor de educação especial é aquele que faz a intermediação entre os profissionais de saúde e a escola, olhando para cada uma das crianças de forma única, e determinando as limitações na aprendizagem de acordo com o seu quadro de saúde. 

Além disso, é este professor que auxilia todos os outros da turma com estratégias e ferramentas que ajudem os alunos com necessidades educativas especiais, de forma a conseguirem seguir o percurso normal escolar.

O educador especial é, desta forma, um pilar para a inclusão destes alunos na comunidade escolar. Tem ainda um papel essencial no que respeita ao enquadramento legal destes alunos, assim como na formação de todos os intervenientes que lidam com eles.

O principal objetivo deste profissional é encontrar as estratégias e ferramentas para ajudar cada um dos alunos, de forma individualizada, para que estes consigam alcançar as suas metas. Este é um trabalho que deve ser feito em conjunto com todos os outros professores. Mas é também um trabalho que se desenvolve individualmente, com cada um dos alunos.

Quais as suas funções

A principal função de um professor do ensino especial, ou educação especial, é integrar todos os alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular. Não se trata, então, de criar turmas isoladas com estas crianças, mas integrá-las em turmas com alunos que não têm este tipo de necessidades.

Para isso, o docente de educação especial apoia todos os outros professores. Ele define determinadas estratégias e ferramentas de trabalho para que o aluno com necessidades educativas especiais possa prosseguir o seu percurso escolar de forma eficiente. Define quais as melhores estratégias de aprendizagem, assim como encontra as melhores formas para motivar esses alunos, e a melhor linguagem a usar.

Quando o professor do ensino especial trabalha nas unidades de apoio a aprendizagem, devendo estas serem complementares à turma regular, ele fica responsável por fazer um acompanhamento individual e personalizado do aluno.

Saídas no Mercado de Trabalho

O professor de ensino especial em Portugal é, atualmente, muito requisitado, tendo em conta que todas as escolas públicas do ensino regular são obrigadas a aceitar alunos com necessidades especiais. 

É também possível atuar no âmbito das escolas privadas e Escolas de Referência e Unidades Especializadas. Falamos, não só, das que fornecem ensino regular, mas também daquelas focadas no ensino e na educação de crianças, adolescentes e jovens com necessidades educativas especiais. Falamos, aqui, de escolas para cegos, surdos e mudos, autistas, com multideficiências, entre outras condições que influenciam diretamente no processo de aprendizagem.

No Brasil, a educação especial tem ainda um longo caminho pela frente, mas já deu alguns passos em frente, criando escolas dedicadas à educação destas crianças. Tem havido também um crescente empenho na inclusão de crianças com necessidades educativas especiais em escolas públicas, inseridos em turmas regulares.

Sendo assim, o mercado de trabalho, tanto em Portugal, como no Brasil, é bastante amplo para estes profissionais que, ainda, são poucos.

Como entrar na carreira de Professor do Ensino Especial

Em Portugal, para entrar na carreira de professor do ensino especial tem de se formar em ensino recorrente, atuando como professor de alguma disciplina, de qualquer nível de ensino. Depois da formação profissional em ensino, deverá ter uma especialização em educação especial. Note-se que, para poder fazer esta especialização precisa ter, no mínimo, 3 anos de exercício da profissão como docente.

Os docentes que não se especializaram em educação especial, mas que tenham já mais de 5 anos de serviço a atuar na área, têm acesso ao processo de especialização em serviço.

O Curso de especialização tem uma duração de três anos, durante os quais abordará o funcionamento intelectual depositário, a deficiência auditiva e visual, assim como a deficiência motora.

Educadores de infância também podem candidatar-se a esta especialização.

Todos os docentes que estejam a exercer em estabelecimentos dependentes do ministério da educação precisam de autorização para terem dispensa do exercício das suas funções, sem que isso prejudique o seu vencimento ou a contagem para o tempo de serviço.

O terceiro ano do curso de professores de ensino especial diz respeito a um estágio. Este implica a elaboração de um projeto de intervenção. 

Para poder trabalhar como docente no ensino especial, é obrigatório o diploma deste curso.

No Brasil, para poder exercer a carreira de educador especial, necessita concluir a pós-graduação em educação especial. Esta pós pode ser feita por profissionais de educação que queiram atuar nesta área. A pós-graduação tem duração média de 15 meses.

Pode, ainda, optar por concluir a licenciatura em Educação Especial, a qual tem duração de 3 a 4 anos.

Onde estudar Educação Especial

Portugal:

Brasil:

Se quer ser professor do ensino especial, saiba que enfrentará muitos desafios, mas tenha a certeza que no final do dia sentirá uma enorme gratificação pessoal! Tem muito com que se orgulhar!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima