Astrofísico / Astrofísica

Astrofísico - Astrofísica

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Presencial

Matérias relacionadas:

Física Matemática Química

Idiomas:

Inglês, Português

A Astrofísica estuda o universo com recurso às leis da Física. E, portanto, um Astrofísico usa instrumentos da Astronomia para entender planetas, asteroides, estrelas e buracos negros.

A palavra Astrofísica junta os termos Astronomia e Física, pelo que não surpreende que seja precisamente isso. Portanto, o Astrofísico dedica-se a entender o universo com recurso a conceitos destas duas ciências.

Os seus objetivos de estudo são as estrelas, as galáxias, os asteroides, os buracos negros e a matéria escura, além dos planetas.

Portanto, estes profissionais passam o tempo com a cabeça no espaço!

Assim, no seu dia a dia, usam instrumentos como lunetas, telescópios e fotómetros. Nas suas observações, têm em conta critérios como a luminosidade, a densidade e a temperatura dos objetos celestes.

Mas continua a ler para entenderes melhor o que é, afinal, esta profissão…

O que é a Astrofísica

A Astrofísica é um ramo da Astronomia que se dedica ao estuda do universo e dos corpos celestes. Assim, usa a Física e a Química para entender melhor o nosso mundo.

Nesse sentido, recorre a dados como a temperatura, a estrutura física, a composição química, a idade e a evolução dos corpos celestes. Desse modo, faz as suas análises e tira conclusões.

Esta ciência só se desenvolveu a partir do século XVIII, pois usa instrumentos astronómicos que não existiam antes disso. Mas já desde a Antiguidade havia um interesse pela explicação dos fenómenos celestes.

O telescópio Hubble é o mais conhecido instrumento de análise astronómica. Esteve em órbita durante três décadas, mas já tem um sucessor à altura. O telescópio espacial James Weeb vai ser lançado neste mês de outubro.

O James Weeb é o maior e mais potente telescópio espacial já criado. Assim, vai permitir observações mais precisas para entender, por exemplo, os primórdios do Universo. Além disso, deverá permitir observar regiões desconhecidas do universo.

O que faz um Astrofísico

O Astrofísico tem de saber de Física e de Astronomia e, portanto, deve ter formação nas duas áreas. Só desse modo será capaz de aplicar os conceitos das duas ciências para entender os objetos astronómicos, por exemplo, planetas, exoplanetas, estrelas e galáxias.

É um trabalho que tem uma forte componente de observação. Mas também exige saberes teóricos complexos.

Agências espaciais como a NASA e a europeia ESA usam dados dos telescópios espaciais para análises astrofísicas sobre o nosso universo.

Mas estes profissionais também recorrem a radiotelescópios, sondas, sensores e análise de luz de estrelas e galáxias para as suas observações.

Assim, conseguem estudar a estrutura interna dos objetos celestes, bem como a sua evolução.

Diferença entre Astrónomo e Astrofísico

Há alguma confusão entre os conceitos de Astronomia e Astrofísica, pelo que há até quem chegue que são a mesma coisa. Mas, na verdade, são profissões distintas.

A Astronomia debruça-se sobre as características e o funcionamento dos objetos celestes. Mas também é confundida com a Astrologia que é uma “pseudociência” que analisa os movimentos dos corpos celestes e a forma como interferem na vida das pessoas.

Já a Astrofísica centra-se nos detalhes físicos e químicos dos objetos celestes, como, por exemplo, na sua massa e composição, na densidade, na luminosidade e na temperatura.

Assim, o Astrofísico recorre a conceitos da Física nuclear e quântica.

A Astrofísica tem uma vertente mais teórica, e outra mais prática, que determinam o tipo de trabalho que é feito pelos profissionais.

Quais as suas funções

Mas um Astrofísico pode ter de apurar as propriedades da matéria escura e dos buracos negros. Além disso, poderá ter de descobrir se é possível viajar no tempo, bem como aferir a origem do universo e para onde ele caminha.

A evolução do sistema solar e das estrelas é outro tópico que faz parte do leque de funções de um Astrofísico. Mas também estuda a formação das galáxias e a origem dos raios cósmicos.

Portanto, podemos dizer que o universo é o laboratório do Astrofísico. Assim, estuda os fenómenos celestes para aplicar em aspetos práticos da nossa vida.

Principais ramos da Astrofísica

Há várias linhas de investigação e de pesquisa na Astrofísica, sendo as principais as seguintes:

  • Ondas gravitacionais
  • Radiofísica
  • Astrofísica de altas energias (analisa os raios-X e gama dos corpos celestes)
  • Física do meio interplanetário
  • Astrofísica extragalática
  • Instrumentação astronómica
  • Astrofísica ótica e infravermelho.

Quanto ganha um Astrofísico

O salário de um Astrofísico anda, mais ou menos, na ordem do que ganha um Astrónomo. Portanto, em qualquer dos casos, os ordenados podem variar muito conforme as circunstâncias do profissional.

Assim, o local de trabalho é determinante. Mas também a experiência do Astrofísico é relevante. Quanto mais anos de experiência acumulada, mais ganhará.

Trata-se, porém, de uma área que requer muitos anos de estudo. No caso de um maior aperfeiçoamento, os valores salariais serão sempre mais interessantes.

Saídas no Mercado de Trabalho

As saídas nesta área não são muitas, mas as que existem são para setores sólidos e onde será possível construir uma carreira firme.

Assim, os profissionais de Astrofísica podem trabalhar em centros de pesquisa da área. Mas também podem ficar ligados a Universidades, por exemplo, como professores ou investigadores.

As agências espaciais são outras saídas possíveis para os Astrofísicos.

Mas até podem trabalhar também para publicações científicas, por exemplo, escrevendo artigos sobre fenómenos celestes e descobertas astrofísicas.

Portanto, o que importa mesmo, é persistir no sonho e procurar a oportunidade certa para triunfar!

Como entrar na carreira de Astrofísico

A carreira de Astrofísico exige formação nas áreas da Física e da Astronomia. Repara que a Astrofísica existe sobretudo como especialização e não como curso de forma isolada.

Portanto, podes começar por fazer Física e especializares-te em Astronomia, ou o inverso. Os dois caminhos são igualmente válidos.

Mas é importante ter em conta que, para ser considerado um Astrofísico, é preciso concluir o doutoramento nesta área. Assim, é importante ter uma formação sólida.

Além disso, é preciso gostar de Matemática e de outras ciências exatas, bem como ter uma ótima capacidade de organização e muita disciplina. Por outro lado, é boa ideia aprender, ou melhorar, o inglês, pois é a linguagem habitual dos estudos científicos na área.

Contudo, para lá de tudo isto, eis mais algumas dicas para quem quer ter uma carreira na Astrofísica:

  • 1. Aprende tudo obre a área
  • 2. Participa em eventos e em clubes de Astrofísica e/Astronomia
  • 3. Faz estágios profissionais em locais reconhecidos
  • 4. Candidata-te a um programa de investigação
  • 5. Aproveita a tua rede de contactos
  • 6. Mantém a formação contínua.

Onde estudar Astrofísica

Quase não existem cursos de graduação em Astrofísica. Esta ciência aparece, sobretudo, como uma cadeira em cursos de graduação de Astronomia, ou até de Física. Mas há especializações para quem quer ser Astrofísico.

Assim, o ideal será estudar Física, ou Astronomia, e depois procurar uma boa especialização em Astrofísica.

Mas também há quem estude Matemática, ou Engenharia, e acabe por fazer mestrados, ou doutoramentos, em Astrofísica.

Tudo depende do perfil da pessoal – e do que deseja para a sua vida! Para teres uma pequena ideia do que podes encontrar, eis algumas opções…

Portugal:

Brasil:

E então, a Astrofísica é a tua praia, ou nem por isso? Agora que sabes o que faz um Astrofísico, já podes definir se queres seguir esta carreira, ou se o melhor será procurar outra área.

Aproveita para tirar dúvidas com os Testes Vocacionais que te vão dar pistas sobre a profissão ideal para o teu perfil. Ficamos a torcer pelo teu sucesso!

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top