Cardiologista Pediátrico

cardiologista pediátrico

O Cardiologista Pediátrico é um médico especialista em doenças cardíacas e em pediatria. Sendo assim, ele dedica-se ao estudo, diagnóstico e tratamento de doenças congénitas e cardíacas adquiridas durante a infância e adolescência.

Outros nomes para esta profissão:

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

O seu trabalho passa pelo diagnóstico e tratamento de problemas e disfunções cardíacas, mas também atua na sua prevenção. Ele também faz o acompanhamento de gestantes, de forma a identificar arritmias e irregularidades cardíacas na gestação.

O profissional formado em Cardiologia Pediátrica acompanha o paciente desde o seu nascimento até ao início da sua fase adulta, altura em que passa a ser seguido por um médico cardiologista.

De entre as mais diversas doenças atendidas e tratadas pelos cardiologistas pediátricos, as mais comuns são sopros cardíacos, dores no peito e palpitações.

Cardiologistas, em geral, são os profissionais mais conceituados na área da medicina, muito porque o coração é um dos órgãos vitais. Da mesma forma, os cardiologistas especialistas em determinadas áreas, como a pediátrica, são, igualmente, muito bem vistos.

Por isso, trata-se de um profissional muito requisitado e, consequentemente, extremamente bem remunerado, especialmente quando comparamos a sua remuneração em hospitais e clínicas do setor privado.

Se sempre quis cuidar de crianças e se está à procura de uma especialidade que lhe ofereça boas oportunidades de carreira, então considere tornar-se um cardiologista pediátrico. Saiba aqui o que faz este profissional, quais as funções que desempenha no seu dia a dia, quais as saídas no mercado de trabalho, assim como o que pode fazer para entrar nesta carreira.

O que faz um Cardiologista Pediátrico?

O cardiologista pediátrico diagnostica e trata doenças cardíacas em crianças e jovens, as quais podem ser congénitas (existentes já na altura do nascimento) ou então adquiridas (apareceram depois do nascimento).

Esta especialidade médica é voltada tanto para a área da cardiologia, assim como para a área da pediatria. Além de fazer o acompanhamento de bebés, crianças e jovens, ele também faz o acompanhamento de mulheres grávidas.

Além de realizar o diagnóstico de doenças e disfunções cardíacas, este médico especialista em cardiologia pediátrica atua também na prevenção destes doenças.

É fundamental que este profissional tenha uma capacidade muito grande de comunicação, especialmente porque falamos de pacientes muito novinhos e, por isso mesmo, muito mais sensíveis e suscetíveis, especialmente quando falamos de doenças.

É fundamental saber lidar com crianças e jovens, e gostar, verdadeiramente, de lidar com eles. Além disso, é extremamente importante que tenha uma capacidade de controlo(e) de emoções muito forte, pois diagnosticar doenças a bebés, crianças e adolescentes é sempre bastante doloroso, principalmente quando essas doenças afetam negativamente a qualidade de vida dos seus pacientes.

De entre as doenças congénitas mais comuns identificadas pelo cardiologista pediátrico, podemos destacar, por exemplo:

  • Defeitos do septo aurículo-ventricular
  • Comunicações interventriculares
  • Comunicações interauriculares
  • Persistência do canal arterial
  • Tetralogogia de Fallot

De entre as doenças adquiridas mais comuns em crianças, podemos destacar, por exemplo:

  • Pericardite
  • Endocardite
  • Insuficiência cardíaca
  • Miocardite

Quais as suas funções

O cardiologista pediátrico tem como principais funções o diagnóstico e tratamento de doenças e disfunções cardíacas em bebés, crianças e jovens, assim como a prevenção dessas condições.

Este especialista também acompanha gestantes, para poder identificar e diagnosticar precocemente cardiopatias e irregularidades cardíacas no feto. Quando existem casos de cadiopatias congénticas, é fundamental o acompanhamento das gestantes desde logo, assim como casos familiares de febre reumática, síncopes e enfartes (infartos) precoces.

Tendo em conta que os problemas cardíacos podem, sem dúvida, ter uma influência genética, é essencial que haja um acompanhamento sério por este médico especialista.

Os tratamentos desses problemas cardíacos pode ser variado, indo de um simples ajuste na alimentação e no estilo de vida, até uma cirurgia. Por isso, é importante que o médico peça exames frequentes, de forma a poder avaliar a evolução das cardiopatias.

De entre as patologias cardíacas pediátricas mais comuns destacam-se, por exemplo:

  • Sopro cardíaco
  • Arritmia cardíaca
  • Tetralogia de Fallot
  • Defeito do septo aurículo-ventricular
  • Hipotensão e Hipertensão arterial
  • Doença arterial periférica

Saídas no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o cardiologista pediátrico é muito favorável, tendo em conta que eles são muito procurados, havendo escassez destes especialistas, e existem poucos médicos especialistas nesta área.

De forma geral, existe falta de profissionais médicos em todo o mundo, incluindo em Portugal e no Brasil. No entanto, quando falamos de médicos especialistas, essa falta é ainda mais evidente.

Poderá trabalhar em hospitais públicos e privados, e pode, ainda, atuar em consultórios privados, como profissional liberal (autônomo).

Como entrar na carreira de Cardiologista Pediátrico

Em Portugal, para entrar na carreira de cardiologista pediátrico, precisa concluir a licenciatura em Medicina (6 anos) e depois fazer um ano de internato médico comum a todas as especialidades. Depois deverá seguir o internato complementar em cardiologia pediátrica, com duração de 60 meses (24 meses de Pediatria Geral; 36 meses de Cardiologia Pediátrica).

Na primeira fase de internato (24 meses), faz um estágio em Pediatria Médica e Neonatologia com cuidados intensivos neonatais.

Durante a 2ª fase do internato (36 meses), o estudante faz estágios em cardiologia pediátrica, em cirurgia cardíaca, e em arritmologia. Deverá, também, escolher um dos estágios seguintes: Genética Médica, Anatomopatologia Cardiovascular; Cardiopatias Congénitas do Adolescente e do Adulto.

Para atuar como cardiologista pediátrico, é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Médicos.

No Brasil, assim como em Portugal, tem de concluir a faculdade de Medicina, com duração de 6 anos, e depois fazer a residência médica na especialidade de cardiologia e depois fazer a especialização em cardiologia pediátrica.

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Ser cardiologista pediátrico pode, com toda a certeza, ser uma profissão extremamente gratificante, especialmente pelo cuidado de bebés, crianças e adolescentes, melhorando a sua qualidade de vida e fazendo a diferença na vida destes futuros adultos. Se está decidido em seguir esta carreira, então estude bastante e foque na sua formação profissional. O sucesso é garantido!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima