Cineterapeuta – Cineterapia

Cineterapeuta - Cineterapia

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Teletrabalho, Presencial

Ordenado Médio Mensal:

1000€ - 1500€

Empregabilidade:

Baixa

Disciplinas do secundario:

Psicologia Sociologia

Idiomas:

Português

O Cineterapeuta é um especialista em Psicoterapia que ajuda a melhorar a saúde mental das pessoas através de filmes, séries ou vídeos. Portanto, estamos no campo da Cinematerapia ou Cineterapia que vem sendo usada como complemento às terapias mais tradicionais.

Mas vem saber tudo dessa profissão que é ideal para quem gosta muito de cinema.

Há filmes que podem mudar as nossas vidas! A frase é dita, muitas vezes, de forma leve, referindo filmes que nos marcaram em períodos decisivos. Mas, na verdade, o cinema pode ser usado como uma ferramenta para melhorar a vida das pessoas.

Esse processo ocorre no âmbito da chamada Psicoterapia ou, mais concretamente, da Cineterapia ou Cinematerapia. Esse é um método inovador que, contudo, se baseia nos princípios das terapias mais tradicionais.

Assim, os filmes ou séries são ferramentas de trabalho que são utilizados pelo Terapeuta. A história de outras pessoas e/ou personagens serve como ponto de partido para um processo de autoanálise.

Deste modo, usam-se as imagens, músicas e diálogos, entre outros elementos do cinema, para motivar uma melhor compreensão de si próprio.

Os códigos do cinema reportam-nos para sensações várias, além de poderem servir como aprendizado emocional e sensorial.

Portanto, filmes e séries podem motivar uma descarga emocional, mas também nos levam à reflexão. Além disso, podem levar à inspiração para a mudança, entre outros aspetos.

Fica connosco e vem entender um pouco melhor o que é e como funciona esse tipo de terapia…  

O que é a Cineterapia

A Cineterapia segue a linha de novas áreas da Psicoterapia, como por exemplo a Biblioterapia. Assim, estas novas “ciências” assentam em métodos do Coaching e da Psicologia, mas recorre a instrumentos inovadores.

Nesse caso da Filmoterapia, como também é chamada, a grande ferramenta são filmes, séries ou vídeos.

Portanto, o/a Cineterapeuta leva a pessoa para um certo cenário ou situação para confrontar os seus medos ou problemas através da história das personagens.

Assim, a pessoa é forçada a olhar para si mesma, de modo a avaliar o que está a sentir e a melhorar.

Mas repara que não se trata só de ver filmes com umas pipocas ao lado! O processo tem de ser consciente e acompanhado. Portanto, é aqui que entra o/a Cineterapeuta.

Deste modo, a Cinematerapia tem sempre um objetivo presente logo que seja feito o diagnóstico do que aflige a pessoa. Assim, segue um plano definido rumo ao processo de cura.

Vantagens da Cineterapia

É sabido que os filmes podem gerar atitudes negativas, como por exemplo a violência. Mas o seu uso no sentido do bem também traz várias vantagens. Assim, cabe ao profissional de Cinematerapia liderar esse processo no sentido certo.

Mas, afinal, para que tipo de situações serve essa terapia? Há vários motivos que podem levar uma pessoa a procurar esse tipo de ajuda ou um Terapeuta a apostar nessa abordagem, tais como os seguintes:

  • Dificuldade de gerir as emoções
  • Crises emocionais ou psicológicas
  • Depressão ou desânimo
  • Ansiedade
  • Problemas nas relações amorosas
  • Conflitos.

Contudo, é preciso notar que não substitui as abordagens terapêuticas mais tradicionais, sobretudo nos casos de problemas mentais mais graves. Assim, é sempre importante consultar um médico.

Todavia, a Cinematerapia é um bom auxílio para as terapias tradicionais, pois encerra várias vantagens como as seguintes:

  • Fácil acesso
  • Agrada à maioria das pessoas
  • Ajuda a encarar problemas
  • Melhora a comunicação e a motivação
  • Facilita a autoanálise
  • Aborda indiretamente assuntos difíceis
  • Ajuda a expressar emoções
  • Melhora as relações sociais.

Continua a ler para saberes mais sobre essa área inspiradora…

Quanto ganha um Cineterapeuta

A profissão de Cineterapeuta não está ainda regulamentada na maioria dos países. Portanto, é uma área nova que está em crescimento. Mas é ideal para quem quer trabalhar por conta própria, pois a maioria dos profissionais do setor são freelancers.

Assim, é difícil definir valores médios de ganhos, pois os rendimentos variam muito. Repara que fatores como a experiência e o nome do terapeuta no mercado são essenciais para o seu sucesso.

Porém, também é preciso ter em conta as próprias capacidades da pessoa, bem como o seu potencial para “vender” o seu trabalho. É verdade, tens de te preparar para promover os teus serviços, sobretudo se quiseres ser freelancer.

Portanto, se pretendes ter uma carreira nessa área, começa já a trabalhar! Mas tens de te preparar para dedicar muita paixão ao que fazes, pois só assim terás o futuro garantido.

O que faz um Cineterapeuta

A Filmoterapia ainda é pouco usada como ferramenta terapêutica. Contudo, cada vez mais se tende a apostar em métodos novos para melhorar a vida dos pacientes. E a magia do cinema pode ser um ótimo instrumento de trabalho!

Portanto, o papel do Cineterapeuta passa por perceber com precisão o que incomoda o seu paciente. Assim, precisa de aplicar técnicas de entrevista, pois tem de diagnosticar muito bem a situação.

Além disso, terá de selecionar os filmes ou séries que melhor refletem aquilo que aflige o paciente. O objetivo será imitar o drama da sua vida naquele momento.

Mas depois disso, terá ainda de ter uma conversa prévia com a pessoa antes de ela ver os filmes ou séries.

Repara que o paciente tem de estar consciente do processo, pois é importante que analise o filme à luz do que o perturba. Deste modo, precisa também de saber como usar a imaginação para se identificar com algum personagem do filme.

Todavia, depois da fase de orientação do paciente, o/a Cineterapeuta também o acompanha após a exibição do filme. Portanto, nesse momento, é essencial que explique o que sentiu e de que forma o filme o impactou.

Assim, precisa de encaminhar a pessoa para entender os seus próprios processos internos. Além disso, deve também aprender a compreender os sentimentos dos outros.

Psicologia pode recorrer à Cinematerapia

O/A Cineterapeuta pode também decidir trabalhar com cenas específicas, pois pode ser importante focar o paciente em detalhes concretos. Assim, será importante também analisar as próprias personagens e o que elas estarão a passar.

Repara que a construção de personagens no cinema é feita com recurso a técnicas da Psicologia, uma vez que é importante que tenham “vida” própria e uma coerência que sirva a trama. Para o terapeuta, o objetivo é que o paciente desconstrua esse processo, entrando na cabeça das personagens.

Quais as suas funções

As histórias motivam a conexão das pessoas com emoções e sensações. Portanto, é evidente que podem ser usadas como ferramentas da Psicoterapia.

Assim, esse é o trabalho do Cineterapeuta, ou seja, colocar filmes e séries ao serviço do paciente.

Nesse processo, recorre a técnicas comuns a outras terapias para conhecer o problema do paciente. Portanto, faz consultas de diagnóstico para traçar o perfil da pessoa, incluindo os problemas ou desafios que enfrenta.

Depois disso, poderá escolher os filmes/séries que usará para ajudar o paciente.

Assim, terá que considerar a história, bem como as características das personagens e a chamada Jornada do Herói. Esse princípio está presente até na publicidade e define a trama de quase todos os filmes.

É provável que nunca tenhas pensado nisso, mas repara que a maioria dos filmes passa pelas seguintes fases:

  • Rotina do dia-a-dia
  • Apelo à aventura ou desafio
  • Recusa do desafio
  • Encontro com mentor ou figura de referência
  • Dificuldades
  • “Barriga da baleia” ou separação do mundo original
  • Fase de provas ou testes
  • Encontro com divindade, figura mítica ou herói
  • Queda em tentação
  • Sintonia com o “pai” (ou a figura central da sua vida)
  • Realização
  • Grande conquista.

Assim, essa é a Jornada do Herói que estrutura a maioria das histórias. Portanto, o Cineterapeuta deve analisar essa jornada para avaliar se o filme encaixa no dilema do paciente.

Como usar a Filmoterapia

O recurso à Cineterapia implica um conhecimento prévio e intenso do filme/série que se vai propor ao paciente. Isso requer uma visualização focada e analítica, ou seja, como terapeuta e não como cinéfilo.

Mas essa estratégia pode ser usada tanto em tratamentos individuais como em sessões de grupo. Todavia, é preciso perceber que a sua aplicação é distinta conforme o caso.

Assim, na terapia individual, deve haver sessões prévias e posteriores com o paciente, mas este deve ver o filme sozinho.

Contudo, na terapia em grupo, o/a Cineterapeuta deve assistir ao filme com os participantes. Pois, desse modo, consegue detetar reações para explorar com o grupo.

Porém, é importante notar que a Cineterapia passa sempre por um processo individual e, portanto, com autofoco.

Saídas no Mercado de Trabalho

Há várias saídas possíveis para quem atua na área, desde clínicas de terapias alternativas até escolas e hospitais. Mas os/as Cineterapeutas podem ainda trabalhar em prisões, empresas ou em diversas instituições.

Além disso, podem também atuar numa vertente mais lúdica em festivais de cinema ou outros eventos culturais. Mas também podem laborar em associações locais de promoção da cultura ou do bem-estar social.

Contudo, é preciso notar que não existem muitas vagas de emprego nesse setor. Repara que muitos dos profissionais da área são freelancers ou atuam em clínicas a título independente.

Portanto, para te afirmares na área, o ideal será deitares mãos à obra! Podes, por exemplo, criar redes sociais para promoveres o teu trabalho. E, quem sabe, podes até tornar-te Influenciador Digital na área!

Mas o que importa reter é que para vingares, precisas de ser dinâmico, criativo e ter muita força de vontade.

Como entrar na carreira de Cineterapeuta

Não existe um caminho óbvio para quem quer ser Cineterapeuta. Muitas pessoas que acabam na área têm formações em Psicologia ou até em Cinema. Portanto, surge como uma alternativa ou como uma paixão que se torna profissão.

Mas, de qualquer modo, é fundamental gostar de cinema e saber um pouco sobre a área. Pois, sem isso, será difícil conseguir ajudar os pacientes.

Além disso, a atividade requer aptidão para lidar com pessoas e para as entender, bem como formação específica.

Vê que essa formação pode ser em áreas relacionadas com a terapia comportamental ou até com o Coaching. Mas é importante ter as ferramentas e o know-how adequado em termos terapêuticos.

Vem daí saber como podes preparar-te para a profissão…

Onde estudar Cineterapia

Há vários workshops e formações em torno da Cinematerapia. Contudo, os cursos extensivos focados na área quase não existem. Repara que é uma área nova que está ainda em fase de expansão.

Portanto, deves procurar cursos nas áreas da Psicologia, da terapia comportamental e do Coaching. Além disso, podes aproveitar os workshops que vão surgindo sobre Cineterapia.

Mas para te ajudar nessa busca, aqui ficam algumas opções para te inspirares…

Portugal:

Brasil:

Agora que já percebeste o que faz um/uma Cineterapeuta e como funciona a Cinematerapia ou Cineterapia, estás pronto/a para abraçar a profissão? Faz uma análise cuidada e pensada, com coração e razão, e deita as mãos à obra. O futuro espera-te! E nós desejamos-te muito sucesso.

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top