Gestor Cultural

Gestor Cultural

O gestor cultural é responsável por definir a estratégia a seguir por uma instituição cultural, assim como é ele que coordena a organização e a programação da instituição. São os gestores culturais que garantem que uma instituição funciona a todo o vapor, tanto ao nível financeiro, como ao nível artístico, técnico, e até ao nível dos recursos humanos.

  • Modalidades: Teletrabalho, Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Baixa
  • Tipo de trabalho: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Desenho, Economia, Geometria Descritiva, História da Cultura e das Artes, Matemática, Oficina de Artes, Psicologia, Sociologia
  • Idiomas: Francês, Inglês, Português

Embora esta não seja uma profissão nova no mercado, a maioria das pessoas não faz ideia do que se trata. A verdade é que, embora o termo seja conhecido de muitos, poucos são aqueles que sabem realmente o que faz um gestor cultural e quais as suas funções no mercado de trabalho.

Antes de mais nada, falamos aqui de gestão cultural. Como deves perceber facilmente, esta área une a cultura e a gestão. E é precisamente isso que os gestores culturais fazem: trabalham com a gestão da cultura.

Então, se tens gosto pela área das finanças e contabilidade, mas queres trabalhar com algo relacionado com o meio cultural e artístico, esta pode ser a profissão que tanto procuras.

Ficaste curioso por saber mais sobre esta carreira, não é verdade?

Continua a ler este artigo porque vamos dar-te todos os detalhes sobre esta belíssima e empolgante profissão.

Vamos?

O que faz um Gestor Cultural?

O gestor cultural trabalha na gestão de instituições culturais. Além de tratar da parte administrativa, ele também trabalha na programação, na gestão técnica e artística, assim como na gestão dos recursos humanos. Ele desenvolve a cultura, mas também está à frente dos negócios da organização e trabalha nas operações do quotidiano.

Esta profissão combina várias áreas (gestão, técnicas organizacionais, técnicas artísticas) e é por isso que é tão entusiasmante.

Resumindo, o gestor cultural é a pessoal que faz com que a arte seja uma realidade, que ela aconteça, de facto. São eles que juntam os artistas, mas também são eles que trazem o público.

Se seguires esta carreira, vais fazer a mediação entre a instituição cultural, outras estruturas, organizações e a sociedade como um todo.

Além de criar novas oportunidades e possibilidades para os artistas, faz com que o público também possa descobrir talentos e novas formas de expressão artística.

Qual o papel do Gestor Cultural?

O papel do gestor cultural é levar a cultura para diferentes pessoas, incluindo de outros países. Ajuda artistas de todos os tipos a exporem a sua arte, através do desenvolvimento dos projetos artísticos. Assim, os gestores culturais têm um papel importante para a cultura em si, e para os artistas.

Podemos dizer que o principal objetivo dos gestores culturais é promover a cultura como um todo, de forma a que esta chegue ao maior número de pessoas possível.

Este profissional também tem um papel importante na hora de construir boas relações entre as instituições públicas e as organizações de cariz privado com a comunidade artística e a sociedade.

Quais as suas funções

O gestor cultural tem como função principal gerir as instituições culturais em todos os seus aspetos. Isso inclui:

  • Gestão de recursos humanos (todas as pessoas que trabalham na organização)
  • Relações públicas
  • Marketing
  • Orçamentos
  • Procura de investidores e patrocinadores
  • Elaboração do programa cultural (se não houver um programador)
  • Avaliação e gestão do programa cultural

O quotidiano do gestor cultural pode ser dividido em quatro partes distintas:

  1. Planear – Perceber novas oportunidades e ameaças e trabalhar com a direção da instituição, assim como com a direção artística num plano de ação para o curto, médio e longo prazo.
  2. Organizar – Colocar os planos em ação. Definir detalhes dos projetos, recursos materiais e humanos, criar um orçamento, um cronograma, e organizar os recursos humanos.
  3. Liderar – Fazer com que todas as pessoas entendam a visão da organização e os objetivos e metas a serem cumpridos. Motivar os trabalhadores e organizar o seu trabalho.
  4. Controlar – Fazer o monitoramento do trabalho, acompanhar os resultados e fazer alterações sempre que estes não estejam em linha com o cronograma e objetivos da organização.

Perfil do Gestor Cultural

Para se ser um gestor cultural na atualidade é importante ter algumas características de personalidade e competências próprias.

De entre muitas as competências, temos de destacar aqui o perfil de liderança. Os gestores culturais têm em mãos toda a instituição. Por isso, se há uma característica essencial é a capacidade de liderar pessoas.

Saber comunicar, tanto por escrito, como verbalmente, é também essencial, não só para falar com as pessoas que trabalham na instituição, mas também para tratar dos negócios com outros profissionais da área.

Conhecimentos em marketing também são importantes, até porque faz parte das suas funções tratar das campanhas de marketing da organização.

Como é óbvio, tratando-se de um gestor, não pode deixar de ter conhecimentos alargados em gestão financeira e estratégica. E, como está a atuar na área artística e cultural, tem de ter um bom sentido artístico e estético.

Vamos ver agora como está o mercado de trabalho, até porque é um dos aspetos que deves estar bastante curioso.

Saídas no Mercado de Trabalho

Em Portugal, assim como no Brasil, a maior parte dos gestores culturais trabalham em instituições públicas. Por norma, este cargo, em Portugal, é conseguido por nomeação ou então por convite, facto que explica a ausência de concursos públicos para gestor cultural.

Apesar desta “lacuna” no mercado de trabalho, muitos profissionais a trabalharem na gestão cultural acreditam que esta profissão tem futuro e serão abertas muitas vagas para estes profissionais.

Quanto ao salário do gestor cultural, este depende muito dos conhecimentos comprovados. Normalmente é feito um exame para o trabalho a desempenhar e aí, sim, é encontrado um valor de acordo com os conhecimentos e experiência comprovados.

Como entrar na carreira de Gestor Cultural?

Para entrar na carreira de gestor cultural em Portugal é preciso ter o curso superior em Gestão Cultural (mestrado). Podem concorrer os alunos que tenham concluído uma licenciatura em artes, ciências sociais, administração, gestão, economia, cultura e tecnologias de informação, não havendo preferência entre estas licenciaturas.

Embora a prática nos ensine muito da profissão, a verdade é que o que aprendemos no curso é essencial para fazermos um bom trabalho, e a verdade é que sem esses conhecimentos ficaria muito difícil “pôr a mão na massa”.

Onde estudar para Gestor Cultural?

Portugal:

Brasil:

Se queres seguir a profissão de gestor cultural, então está na hora de te dedicares aos estudos. Não é um caminho fácil, mas acredita que vai valer a pena. Nós, da equipa do Guia das profissões, desejamos-te os maiores sucessos.

Partilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top