Ginecologista

Ginecologista

O ginecologista é um profissional médico especialista na área da ginecologia. Esta área dedica-se ao estudo do funcionamento do sistema reprodutor feminino, assim como aos distúrbios que lhe podem estar associados. Os ginecologistas são fundamentais para a saúde feminina, especialmente no cuidado precoce de doenças que podem desenvolver condições mais graves e que podem ser fatais.

Outros nomes para esta profissão: Médico Ginecologista

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho Solitário, Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

Além de cuidar de órgãos como o útero, vagina, vulva e ovários, são os médicos ginecologistas que cuidam da mama. Sendo assim, este médico não avalia uma condição particular, mas avalia a saúde feminina como um todo, podendo mesmo tratar problemas do aparelho urinário e digestivo, e pode também tratar osteoporose e desequilíbrios hormonais.

Sabendo que os cancros (cânceres) que mais matam mulheres são o da mama e do útero, o ginecologista é um especialista médico fundamental no diagnóstico precoce destes tumores, evitando, assim, um desfecho fatal.

Por isso, ele não só é essencial para a paciente, mas atua na saúde pública, beneficiando a sociedade como um todo.

Quer saber mais sobre esta profissão? Gosta da área da medicina e tem particular interesse pela saúde feminina? Então continue a ler este artigo e saiba o que fazem os ginecologistas, quais as funções que eles desempenham, as saídas no mercado de trabalho, e o percurso que tem de percorrer para entrar nesta carreira.

O que faz um Ginecologista?

O ginecologista faz o acompanhamento de mulheres desde a puberdade. Embora a maioria das mulheres acredite que a consulta com este profissional só seja necessária quando existe um problema, ou quando se inicia a vida sexual, o ideal é que o acompanhamento seja feito desde os primeiros sinais da puberdade, aos 8 ou 9 anos, quando os seios começam a crescer e os pelos pubianos aparecem, mesmo que a menstruação ainda não tenha surgido.

Acompanhando as meninas nessa altura, o profissional avalia o desenvolvimento das características sexuais, possibilitando que este identifique possíveis indícios de precocidade, ou de atrasos.

Quando surge a menstruação, os ginecologistas orientam as jovens para a sexualidade, assim como para o funcionamento do seu próprio corpo. Ele explica como as jovens podem evitar uma gravidez indesejada e como podem prevenir-se de doenças sexualmente transmissíveis.

Já na vida adulta, este profissional faz uma série de exames de rotina para encontrar possíveis problemas de saúde femininos, como o exame de Papanicolau, exame especular, toque vaginal e exame clínico mamário, por exemplo.

Caso se verifique essa necessidade, poderá pedir exames complementares, como exames de urina, mamografias, ultrassonografias (ultrassons), hemogramas, densitometrias ósseas, entre outros.

Depois de analisar os resultados dos exames, o ginecologista trata a paciente, ou então, quando a condição fica fora da sua alçada, encaminha para o médico especialista mais adequado.

Mulheres na menopausa, ou pré-menopausa, podem procurar este profissional para reduzir os sintomas associados, podendo haver uma necessidade de fazer um tratamento de reposição hormonal.

É também responsável por avaliar mulheres que estejam com dificuldades para engravidar, numa primeira fase. Caso exista algum fator que prejudique a fertilidade, deverá ser encaminhada para o médico geneticista.

Quais as suas funções

O médico ginecologista é o responsável principal por manter a saúde das mulheres. Para tal, ele faz exames preventivos, mas também procede ao tratamento de doenças desenvolvidas no aparelho reprodutor feminino.

O seu dia a dia consiste, na maior parte das vezes, em consultas e exames preventivos. No entanto, quando este profissional é também médico obstetra, acumulando os dois cargos, a rotina é muito mais corrida e imprevisível, pois tem de ter uma disponibilidade total para poder atender as pacientes que entrem em trabalho de parto.

No Brasil, a maioria dos ginecologistas são, ao mesmo tempo, obstetras. Em Portugal, são poucos os ginecologistas que são obstetras também, pois exige uma formação complementar.

Estes profissionais podem especializar-se também em algumas áreas específicas dentro da ginecologia, como, por exemplo:

  • Climatério e Menopausa
  • Dor pélvica
  • Ginecologia geral
  • Endocrinologia ginecológica
  • Ginecologia Infantopuberal
  • Videolaparoscopia e Videohisteroscopia
  • Medicina fetal
  • Mastologia
  • Infeção (Infecção) genital
  • Planeamento (planejamento) familiar
  • Uroginecologia
  • Reprodução humana
  • Oncologia (clínica e cirúrgica)
  • Cirurgia vaginal
  • Patologia do Trato genital inferior

Saídas no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o médico ginecologista é muito bom, assim como qualquer especialidade médica. Além do trabalho em hospitais públicos e privados, poderá trabalhar em clínicas de ginecologia.

Esta especialidade dá-lhe também a possibilidade de ter um consultório próprio, atuando como profissional liberal.

Embora o mercado de trabalho seja bom, é mais fácil encontrar boas vagas de emprego fora das grandes cidades. Como a maioria dos profissionais de saúde quer trabalhar em grandes centros urbanos, existe uma escassez enorme de ginecologistas em áreas rurais e pequenas cidades.

Como entrar na carreira de Ginecologista

Em Portugal, para entrar na carreira de ginecologista, precisa, antes de mais nada, concluir a licenciatura em Medicina (6 anos). Segue-se um ano de internato médico comum a todas as especialidades (Ano Comum), e depois 72 meses de internato médico na especialidade de Ginecologia. No final do internato de especialidade, tem de ser aprovado numa avaliação final com componente teórica, prática e curricular.

Para atuar como médico especialista em angiologia, é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Médicos.

No Brasil, para seguir a carreira de ginecologia, precisa, antes de mais nada, completar a graduação em medicina (6 anos). Depois pode optar por seguir o programa de residência médica em ginecologia e obstetrícia, ou fazer a Prova de Títulos.

A residência médica tem a duração de 3 anos. Se pensa seguir a especialidade logo depois de completar a sua formação em medicina, essa é a melhor opção. Para poder ingressar na residência precisa ser aprovado na prova de admissão.

Se já tem experiência na área médica, ou se possui uma pós-graduação na área da ginecologia e obstetrícia, então poderá optar pela Prova de Títulos, conferindo-lhe o grau de especialista pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).

A prova é muito exigente e o grau de dificuldade é elevado, então é preciso estar muito bem preparado para passar nesse exame.

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Quer fazer a diferença na vida das mulheres? Gosta da área da medicina? Então não poderia escolher melhor profissão do que ginecologista. Com toda a certeza, não só ajuda várias mulheres e jovens, como melhora a qualidade de vida das suas pacientes. Por isso, esta profissão é tão gratificante!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima