Jornalista de Investigação / Jornalismo Investigativo

Jornalista de Investigação - Jornalismo Investigativo

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Teletrabalho, Presencial

Matérias relacionadas:

Psicologia Sociologia

Idiomas:

Inglês, Português

O Jornalista de Investigação é o profissional da comunicação social que se dedica a descobrir as grandes histórias. Podemos dizer que o Jornalismo Investigativo é o responsável pela revelação dos escândalos de corrupção mais conhecidos.

O mundo do Jornalismo pode ser tão aliciante como trabalhoso. Mas é na área do Jornalismo Investigativo que isso é mesmo verdade.

Os grandes Jornalistas têm sido fundamentais na nossa sociedade, pois funcionam como um contrapoder. Portanto, estão sempre atentos à realidade social e económica. Neste âmbito, o Jornalista de Investigação é essencial para a descoberta das verdades inconvenientes.

É um tipo de Jornalismo que não exige uma formação específica, embora seja sempre interessante fazê-la. Mas é preciso ter alguns traços de personalidade, como a persistência e a coragem, pois a tarefa pode ser complicada.

Fica connosco para saberes tudo desta profissão!

O que é Jornalismo Investigativo

Jornalismo investigativo é um tipo de reportagem que se debruça sobre um dado tema mais a fundo. Assim, passa por destapar ou descobrir factos escondidos do público em geral.

Há Jornalistas que dizem que todo o Jornalismo é Investigativo, ou que deveria sê-lo. Mas, na verdade, este tipo de trabalho implica um investimento maior em termos de tempo.

Além disso, a abordagem é diferente, pois não há um foco tão grande no imediato. O foco é antes na descoberta da verdade escondida.

Os Jornalistas de Investigação são os que buscam os grandes “furos”, o termo usado para as notícias que são dadas em primeira mão.

Portanto, é uma atividade que tem o poder para abalar o sistema político. Já ouviste falar do “Caso Watergate” que levou à queda de Richard Nixon do cargo de presidente dos EUA? É apenas um de muitos processos de Jornalismo Investigativo que tiveram efeitos importantes.

Este tipo de trabalho pode passar por usar câmaras ocultas ou outros métodos de recolha de testemunhos e de dados. Além disso, podem-se investigar crimes de sangue e económicos, ou ainda casos de corrupção com políticos.

Assim, é um tipo de trabalho que pode implicar riscos, até físicos, por exemplo, quando se investigam temas como o tráfico de droga.

O que faz um Jornalista de Investigação

O Jornalismo Investigativo pode ser visto como uma área especializada do Jornalismo, mas nem todos os profissionais da área concordam com isso.

Na verdade, qualquer Jornalista de uma redação pode investigar um dado tema, ou seguir uma certa pista em busca de factos novos e relevantes. Mas, muitas vezes, os jornais, as televisões ou rádios têm Jornalistas de Investigação que se limitam a fazer grandes reportagens.

Portanto, especializam-se nesse tipo de trabalho, o que lhes permite manterem-se focado e, portanto, serem mais produtivos.

O Jornalista de Investigação tem de apurar os factos com detalhe, editá-los, redigir o texto para a notícia e narrá-la. Em termos gerais, é um trabalho semelhante ao de um qualquer Jornalista, mas tem alguns detalhes que são distintivos.

Assim, o Jornalismo Investigativo é marcado pelos seguintes aspetos:

  • Procura do detalhe
  • Trabalho mais demorado (até pode levar anos!)
  • Muita paciência e persistência
  • Maior investimento financeiro
  • Dados apurados são mais precisos
  • Tem quase sempre um interesse público evidente.

No meio disto tudo, precisa de superar obstáculos, seja por dificuldade de acesso a fontes, seja por haver poderes a tentarem esconder dados.

Além disso, pode ser um trabalho de colaboração, contando com equipas de apoio, por exemplo, um Repórter de TV ou um Repórter de Imagem. Mas também pode ter a ajuda de um Jornalista de Dados ou de um Jornalista de Economia, para entender certos números.

Repara que é um trabalho onde é preciso ter muito cuidado com todos os detalhes, analisando fontes e cruzando dados. Mas também é preciso estudar documentos e relatórios oficiais.

Quais as suas funções

O trabalho de um Jornalista de Investigação passa por recolher dados isolados, cruzando-os e relacionando-os. Mas isso pode parecer demasiado básico! Contudo, é um trabalho moroso que exige muita ética profissional e responsabilidade.

Além disso, é preciso ter uma boa dose de ousadia e coragem para seguir as pistas certas, rumo à verdade.

Assim o Jornalismo Investigativo pode ter vários formatos de reportagem:

  • Original – Descoberta de dados totalmente desconhecidos do público.
  • Interpretativa – Analisa factos já divulgados, mas de forma mais detalhada, acrescentando informações novas ou uma nova perspetiva ao assunto.
  • Analítica – Debruça-se sobre dados divulgados por “gargantas fundas”, ou seja, pessoas conhecedoras dos processos em fugas de informação massiva.

Neste processo, qualquer que seja o formato, um Jornalista Investigativo precisa de analisar documentos públicos e usar informantes. Mas também pode ter de fazer investigações secretas no submundo do crime. Parece emocionante, certo?

Além disso, pode usar certas estratégias que não são habituais no Jornalismo do dia a dia para obter informações, tais como:

  • Escutas
  • Câmaras ocultas
  • Disfarce.

A importância das fontes

Uma das vertentes mais importantes do Jornalismo, seja de investigação ou não, é o contacto com as fontes. Estas são a parte essencial de uma notícia ou reportagem e podem ser:

  • Oficiais (elementos do Governo, de instituições, de empresas e organizações)
  • Oficiosas (estão ligadas a pessoas, entidades ou instituições, mas não podem falar em nomes delas)
  • Independentes (as que não têm quaisquer ligações ao assunto retratado)
  • Primárias (cedem as principais informações de uma reportagem)
  • Secundárias (ajudam a perceber os dados principais dados pelas fontes primárias)
  • Testemunhos (declarações de pessoas diretamente ligadas aos factos ou acontecimentos da notícia)
  • Especialistas (fazem a interpretação dos factos).

As fontes podem ser anónimas e revelar dados cruciais para a reportagem.

Nestes casos, o Jornalista está obrigado a proteger as suas identidades e, portanto, não pode divulgar os seus nomes. A Lei garante-lhe esse direito, tal como o Código de Deontologia profissional.

Quanto ganha um Jornalista de Investigação

Os salários não são o principal atrativo do mundo do Jornalismo. Mas o Jornalista de Investigação é um profissional que se pode distinguir dos restantes neste âmbito.

Muitas vezes, os profissionais que fazem Jornalismo Investigativo têm nome na praça, o que significa que são conceituados. Portanto, podem ganhar um pouco acima da média. Mas nem sempre é assim.

Tudo depende também do meio ou do tipo de empresa onde se trabalhe. Repara que na televisão, por exemplo, os ordenados são sempre um pouco mais elevados do que na Imprensa.

Mas há vários fatores a ponderar no que se refere ao ordenado médio. De qualquer modo, quem envereda pelo Jornalismo, fá-lo com paixão pela profissão.

Saídas no Mercado de Trabalho

As oportunidades para os Jornalistas de Investigação passam pelos media tradicionais, como jornais e revistas, mas também canais de televisão e rádio.

Contudo, também podem trabalhar no universo online, onde o Jornalista Digital tem, cada vez mais, que se dedicar a aprofundar os assuntos. Mas até o Jornalista Esportivo / Jornalista Desportivo pode dedicar-se à vertente mais investigativa.

De resto, esta área tem vivido alguma procura nos últimos tempos, muito por causa das chamadas “fake news”, ou seja, as notícias falsas que se espalham pela Internet. Esta realidade dá força ao Jornalismo Investigativo, pois é preciso ir buscar a verdade por trás dos rumores.

Contudo, nem todos os canais de informação podem dar-se ao luxo de investir no Jornalismo de Investigação. Repara que é uma fórmula mais cara e mais demorada, portanto, só alguns media se atrevem a fazer esta aposta.

Porém, também podes considerar trabalhar como Jornalista de Investigação freelancer. É uma boa opção para quem tem um espírito independente e persistente, bem como algum dinheiro para poder investir na busca por aquele “furo” marcante!

Como entrar no Jornalismo Investigativo

O caminho para ser Jornalista Investigativo começa como o de qualquer outro Jornalista, ou seja, com um curso de Jornalismo.

Neste âmbito, é importante escolher uma formação bem prática, mas que também permita participar em congressos ou eventos. Repara que o networking, ou seja, fazer contactos com outras pessoas do meio e não só, é essencial para os Jornalistas!

Assim, tenta investir também nessa vertente e procura, ao mesmo tempo, treinar as tuas habilidades. Podes fazer as tuas pequenas investigações ainda enquanto estudante, criando um blogue ou até um vlogue, pois o setor dos Videomakers está em alta.

O que é fundamental é que não desanimes perante as dificuldades, nem desistas. Tenta formar-te num bom curso, ganhar alguma experiência e procurar um bom estágio.

Se tudo correr bem, poderás entrar numa redação, onde terás de batalhar, começando por baixo. Mas vais poder alimentar o sonho de chegar ao Jornalismo Investigativo.

Essa caminhada, mesmo que possa ser difícil e demorada, é também aliciante e vai dar-te a “tarimba” de que precisas para triunfar!

Onde buscar informação sobre Jornalismo Investigativo

Entretanto, no Brasil, a ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos pode dar-te mais informações.

Em Portugal, há o Sindicato dos Jornalistas que te pode ajudar também com detalhes importantes sobre a profissão.

Mas também podes procurar informação em plataformas como o ICIJ – International Consortium of Investigative Journalists. Trata-se do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos que te ajudará a ter uma ideia do futuro que te espera.

Onde estudar Jornalismo Investigativo

O Jornalismo Investigativo já começa a surgir como uma especialização em algumas instituições de ensino. Mas a base da formação continua a ser um curso de Comunicação e/ou Jornalismo.

Aliás, alguns cursos desta área já incluem matérias dedicadas ao Jornalismo de Investigação pela importância que tem assumindo.

Aproveita as seguintes sugestões para começares o teu processo de escolha…

Portugal:

Brasil:

Agora que já sabes o que é o Jornalismo Investigativo e o que faz um Jornalista de Investigação, só tens de ponderar bem se encontraste o teu caminho. É esta a profissão que queres para o teu futuro? Se a resposta é sim, ficamos a torcer pelo teu sucesso!

Contudo, se ainda tens dúvidas, aproveita para fazer os nossos Testes Vocacionais. Vais ficar a conhecer outras profissões que podem ser ideais para o teu perfil!

Partilhar Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top