Médico do Trabalho

Médico do Trabalho

O médico do trabalho é o especialista que cuida da saúde dos trabalhadores, de forma geral, mas também é capacitado para diagnosticar e tratar doenças ocupacionais (derivadas do trabalho).

Outros nomes para esta profissão:

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Química
  • Idiomas: Espanhol, Francês, Inglês, Português

Este médico especialista faz exames de periódicos aos trabalhadores, assim como exames de admissão, de demissão, e de retorno ao trabalho. Pode, também, fazer exames para que os trabalhadores possam mudar de função dentro da empresa que já trabalham.

É fundamental ter conhecimentos de Direito do Trabalho (trabalhista), pois as suas decisões têm de ser sempre enquadradas na legislação vigente. Por isso, é importante que, ao longo da carreira, se atualize no que diz respeito às leis do trabalho.

Embora não seja um dos profissionais de saúde mais considerados pela sociedade, o seu trabalho reflete muito na saúde da população em geral, pois é capaz de diagnosticar doenças de forma precoce nos exames de rotina, e pode, efetivamente, melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores.

Por isso, podemos dizer que o médico no trabalho é uma peça-chave para o bem-estar da comunidade, preservando e melhorando o estado de saúde de todos os trabalhadores.

Se gostas da área da Medicina mas ainda não sabes qual a especialidade que vais seguir, então estás no sítio certo!

Vamos mostrar aqui o que faz um médico do trabalho, quais as funções que podes desempenhar se seguires esta profissão, as saídas no mercado de trabalho que tens disponíveis, e o percurso académico que tens de concluir.

Curioso?

Então continua connosco!

O que faz um Médico do Trabalho?

O médico do trabalho tem como objetivo principal proteger a saúde dos trabalhadores. Se seguires esta profissão, ficas responsável por avaliar a saúde geral dos trabalhadores, mas também tens de dar as indicações necessárias para a prevenção de doenças ocupacionais.

Sem dúvida, as consultas no âmbito da medicina do trabalho são fundamentais para as pessoas que trabalham, mas também para as próprias empresas e, em última instância, para a sociedade em geral.

É o médico especialista em medicina do trabalho que garante que o trabalho não vai causar nenhuma incapacidade ou doença no trabalhador e, por isso, é um elemento imprescindível no mercado de trabalho.

Em último caso, é este médico que salvaguarda a saúde no trabalho, e o direito de trabalhar sem que isso possa prejudicar a saúde geral do trabalhador.

As empresas também se beneficiam, porque garantem funcionários saudáveis e, por isso, mais produtivos.

A rotina de um Médico do Trabalho

Os médicos do trabalho prestam consultas aos trabalhadores. O principal objetivo é avaliar se um trabalhador está, ou não, apto para realizar as funções para que foi contratado, ou será contratado, tendo como base os riscos profissionais inerentes às funções, e de acordo com a saúde geral do trabalhador de forma específica.

Para poderem fazer uma avaliação correta, eles podem pedir exames de saúde que possam comprovar o estado de saúde geral do trabalhador.

Depois de fazerem uma análise, emitem uma ficha de aptidão, na qual não podem conter quaisquer dados clínicos do trabalhador, mantendo o máximo sigilo. Nessa ficha, os médicos recomendam possíveis adaptações que tenham de ser feitas nas condições de trabalho, para diminuir as taxas de doenças ocupacionais e, consequentemente, o absentismo.

Quais as suas funções

Se optares pela especialidade de Medicina do Trabalho, vais focar-te nos efeitos que as atividades profissionais podem ter na saúde dos trabalhadores. Por isso, a tua função não é tanto no diagnósticos de doenças gerais, mas em perceber quais os riscos que os trabalhadores correm de acordo com a função que desempenham dentro da empresa.

Para conseguires desempenhar esta função eficazmente, é importante teres conhecimentos técnicos da atividade que estás a supervisionais, e todos os produtos que os trabalhadores usam no exercício das suas funções.

Portanto, terás o dever de:

  • Estar sempre informado sobre os riscos que as diferentes atividades profissionais podem ter na saúde geral dos trabalhadores
  • Ter especial atenção em estabelecimentos industriais e outras empresas que apresentem risco elevado
  • Respeitar o sigilo entre médico e paciente (trabalhador)
  • Fazer cumprir os direitos dos trabalhadores, mesmo quando vai contra a empresa

Durante as consultas, e depois de uma avaliação aprofundada, poderás considerar que um determinado trabalhador não está apto para trabalhar em determinada função, seja temporária ou definitivamente.

Saídas no Mercado de Trabalho

Se tirares o curso de Medicina e te especializares em Medicina do Trabalho, podes atuar em diferentes áreas:

  • Saúde Pública
  • Investigação e Pesquisa
  • Empresas
  • Fiscalização
  • Assessoria para sindicatos e organizações de trabalhadores
  • Consultadoria a empregadores
  • Educação (Faculdades)
  • Sistema judiciário (atuando como perito judicial em processos do direito do trabalho)

Como entrar na carreira de Médico do Trabalho

Em Portugal, para entrar na carreira de médico do trabalho, precisas, antes de mais nada, concluir o mestrado integrado em Medicina (6 anos).

Depois tens de concluir o Ano Comum, um internato médico que é comum a todas as especialidades médicas. Só depois vais seguir a especialidade de Medicina do Trabalho, que consiste num internato médico com duração de 48 meses.

Para atuar como médico especialista em angiologia, é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Médicos.

No Brasil, assim como em Portugal, tem de concluir a faculdade de Medicina, com duração de 6 anos, e depois fazer a residência médica na especialidade de medicina do trabalho. Para atuar como médico do trabalho tem de ter um certificado de residência reconhecido pela Comissão Nacional da Residência Médica do Ministério da Educação.

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Se sentes uma vocação especial para cuidar dos trabalhadores, se te preocupas com as pessoas que, todos os dias, dão tudo pelo seu emprego, então, seres médico do trabalho não é apenas uma opção, mas a escolha certa para ti! Dedica-te e esforça-te, porque, acredita, todos os teus esforços vão ser recompensados!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima