Médico Geneticista

Médico Geneticista

O médico geneticista é um médico especialista em genética médica. Apesar de ser uma especialidade recente e, em parte, desconhecida da sociedade em geral, é uma das especialidades com mais futuro, tendo em conta que existem avanços diários nesta área, e a tendência é de crescimento exponencial.

Outros nomes para esta profissão:

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

Este médico especialista realiza o diagnóstico de pacientes com doenças genéticas, faz o seu acompanhamento, e prescreve o melhor tratamento para eles, de forma individualizada.

Esta é uma das áreas da medicina mais estimulantes a nível pessoal, até porque, muitas vezes, lidamos com doenças genéticas raras. Por isso, o seu trabalho envolve muita pesquisa, muito estudo, e é fundamental estar sempre atualizado.

É importante, também, que este profissional tenha uma capacidade muito grande de lidar com situações graves, pois ele lida, muitas vezes, com doenças incuráveis na atualidade.

Se sente particular interesse pela área da medicina, ou se já se formou em medicina, e está à procura de uma especialidade médica que realmente lhe cause curiosidade e vontade de atuar, então continue a ler este artigo e descubra o que faz um médico geneticista, quais as funções que desempenha, as saídas no mercado de trabalho atual, e o percurso que tem de percorrer para entrar nesta carreira estimulante! Confira!

O que faz um Médico Geneticista?

O médico geneticista diagnostica e trata, quando possível, doenças genéticas, mas também acompanha os seus pacientes ao longo do tempo.

Esta especialidade médica requer um envolvimento muito grande com os seus pacientes, e é fundamental que o médico consiga estabelecer uma boa relação com o paciente, principalmente porque, na maioria das vezes, é um relacionamento que dura a vida inteira.

É possível dividir a atuação dos médicos geneticistas em três grupos distintos:

  • Condições pré-concepcionais (antes da gravidez) / pré-natais (antes do nascimento) – Incluem-se, aqui, por exemplo, problemas de consanguinidade; idade materna e/ou paterna avançada; doenças genéticas do pai e/ou mãe; malformações fetais; exposição a radiações, drogas, álcool, entre outras, durante a gestação; abortos espontâneos recorrentes.
  • Condições pediátricas (bebés, crianças e jovens) – Alguns exemplos destas condições são alterações no teste do pezinho; malformações únicas ou múltiplas; hipotonia congénita; assimetria corporal; neuropatias e miopatias; tumores benignos ou malignos.
  • Condições da idade adulta (adultos e idosos) – Incluem-se, aqui, por exemplo, casos de infertilidade; atraso da puberdade; abortos espontâneos recorrentes; baixa/alta estatura; cancro (câncer) associado a mutações genéticas.

O médico geneticista pode ter de lidar com muitas doenças raras e, muitas vezes, incuráveis na medicina moderna atual. Neste caso, deverá proceder ao tratamento dos sintomas associados, mas explicando ao paciente a verdadeira condição de que padece. Por isso, é importante ter uma boa ligação com o paciente, estabelecendo uma relação de confiança e verdade.

Quais as suas funções

Sem dúvida, o médico geneticista tem uma área de atuação muito ampla, indo desde o pré-concepcional até à idade adulta.

O acompanhamento pré-concepcional e pré-natal envolve a identificação de casais que têm maior risco de desenvolver um feto com doenças genéticas e, assim, conseguem minimizar esses riscos procedendo a algumas medidas laboratoriais.

O acompanhamento pediátrico envolve a avaliação de recém-nascidos, crianças e jovens que tenham algum tipo de distúrbio, ou malformação. O especialista faz vários testes genéticos e bioquímicos para fazer um diagnóstico preciso e indicar o melhor tratamento a seguir.

Ele também faz um acompanhamento na idade adulta dos portadores de doenças genéticas.

Saídas no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o médico geneticista está bastante “quente”, até porque é uma área muito recente a nível mundial e ainda existe muito trabalho a ser desenvolvido. Sendo assim, a procura por estes profissionais é bastante grande.

Dentro da genética médica, é possível encontrar emprego em quatro áreas:

Dismorfologia

O especialista em genética médica estuda os defeitos do corpo humano, com particular destaque para malformações congénitas. O seu foco é descobrir porque se deram as alterações estruturais do corpo ao longo do tempo.

Metabolismo

Uma das áreas de atuação do médico geneticista é relacionada com o metabolismo, quando este apresenta problemas de causa genética. Os distúrbios genéticos que afetam o metabolismo são muitos, tantos que esta é a área dentro da genética médica que apresenta um número maior de condições.

Oncogenética

Ao atuar nesta área, o profissional estuda e faz o diagnóstico de pacientes que tenham uma predisposição genética ao desenvolvimento de cancro. Ele fica responsável por identificar pacientes que estão em risco, fazendo testes genéticos específicos.

O principal objetivo é fazer um acompanhamento desses pacientes, detetando o cancro precocemente e, assim, aumentar as probabilidades de cura efetiva.

Neurogenética

O médico geneticista a trabalhar na área da neurogenética fica responsável pelo estudo de doenças genéticas que apresentem manifestações neurológicas.

A área da pediatria é, sem dúvida, aquela que mais precisa destes profissional. No entanto, é possível trabalhar em outras áreas em hospitais públicos e privados.

É possível, ainda, trabalhar em consultórios próprios e clínicas de aconselhamento genético para casais que tenham problemas em engravidar, ou então que apresentem riscos de formar um feto com malformações genéticas.

Poderão, também, trabalhar com consultoria em laboratórios, desde que façam testes genéticos.

Como entrar na carreira de Médico Geneticista

Tratando-se de uma especialidade médica, para entrar na carreira de médico geneticista em Portugal, é obrigatório concluir o Mestrado Integrado em Medicina, com duração de 6 anos. No final do mestrado, deverá concluir o Ano Comum (internato médico comum a todas as especialidades de 12 meses) e seguir para o internato médico de especialidade em Genética Médica, o qual tem duração de 60 meses (5 anos). No final do internato de especialidade, precisa ser aprovado numa avaliação final, com componente teórica, prática e curricular.

Para atuar como médico especialista em genética médica, é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Médicos.

Para entrar na carreira de médico geneticista no Brasil precisa graduar-se, antes de mais nada, em Medicina e depois concluir o programa de residência médica em genética médica, de acesso direto, com duração de 3 anos.

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Para ter o título de especialista em genética médica, precisa ser aprovado na Sociedade Brasileira de Genética Médica. Embora não seja obrigatório para exercer, é uma mais valia na hora de conseguir melhores vagas de trabalho, com melhor remuneração.

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Se quer ser médico geneticista, não deixe de estudar e dedique-se com todas as suas forças durante o curso universitário. Será um esforço hercúleo, mas será muito bem recompensado. Valerá a pena!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima