Oboísta

Oboísta

Resumo da profissão

Modalidades:

Presencial, Ar Livre

Matérias relacionadas:

História da Cultura e das Artes Matemática Oficina de Artes Psicologia

Idiomas:

Francês, Inglês, Português

O oboísta é um músico profissional que toca oboé (um instrumento musical de sopro, de palheta dupla, e faz parte da família das madeiras). Conhecido como um dos instrumentos de sopro mais difíceis de tocar, o oboé faz parte de muitas peças de orquestra.

Embora não seja um instrumento muito visto em estilos e géneros musicais diversos, quando olhamos para música clássica, o oboé revela bem a sua importância e poder expressivo.

Desde o século XVII (época em que surge este instrumento musical em França) que o oboé entrou para muitas peças a serem tocadas por orquestras.

Mozart, Bach e Schumann são compositores que já incluíram o oboé nas suas composições. Strauss e Vivaldi, por exemplo, fizeram até concertos dedicados a este instrumento poderoso.

Se gostas de música, principalmente clássica, e se adoras instrumentos de sopro, então a profissão de oboísta pode ser muito interessante para ti.

Neste artigo, vamos dar-te a conhecer mais sobre o oboé e sobre a profissão do músico de orquestra que toca este instrumento.

Vens connosco?

Oboé

O oboé é um instrumento de sopro, de palheta dupla, que faz parte da família das madeiras. Ele teve a sua origem na charamela (instrumento de sopro, ligeiramente cónico, tal como o oboé, de palheta dupla e com orifícios para dedilhar) e fez tanto sucesso que deixamos de ver a charamela nas orquestras para vermos apenas o oboé.

Este instrumento é construído em ébano e jacarandá, embora atualmente já sejam produzidos oboés com outros materiais, como plásticos e compósitos.

Dispõe de um sistema de chaves, o qual permite que o músico alcance as notas desejadas ao soprar na palheta dupla.

É um instrumento musical muito difícil de tocar, principalmente porque exige uma técnica de respiração exemplar.

A palheta dupla é constituída por duas canas, separadas por um espaço muito pequeno. Por isso mesmo, é preciso que o instrumentista tenha um sopro de alta pressão e constante (mas em pouca quantidade quando comparado com outros instrumentos de sopro).

Com o oboé, obtemos um som melodioso, doce e muito rico. A sua característica mais marcante é que tem um som nasalado. Embora tenha uma extensão de notas menor do que os outros instrumentos musicais de sopro, o oboé ganha na sua dinâmica expressiva.

Um bom oboísta é capaz de ir de uma melodia melancólica a uma melodia alegre com grande facilidade. Da mesma forma, consegue transmitir timbres quentes, frios, e também agressivos.

Tipos de Oboé

O oboé constitui uma subfamília, na qual incluímos:

  • Oboé Soprano em Dó (este é o mais usado por músicos profissionais e muito comum nas orquestras)
  • Oboé d’amore (afinado em Lá, é mais grave do que o oboé soprano)
  • Corne inglês (afinado em Fá, é mais grave que o oboé soprano e que o oboé d’amore)
  • Oboé Musette (também conhecido como oboé Piccolo. Normalmente, este é afinado em Fá), oboé barítono e oboé baixo em Dó (estes três são muito raros de encontrar)

O papel do Oboé na Orquestra

O oboé tornou-se uma peça central em todas as orquestras, tanto que é o verdadeiro afinador da orquestra. É este instrumento que serve de referência para que os restantes instrumentos afinem.

Existem duas teorias válidas para que o oboé desempenhe esta função. A primeira é que o oboé é muito estável (não desafina com facilidade, ao contrário dos instrumentos de cordas, por exemplo) e o Lá obtido sai na frequência desejada (440-442hz).

A segunda teoria é que o oboé, por ser um instrumento de madeira, e porque a afinação varia com a humidade e a temperatura, servia de guia para os restantes, para que no “todo” não soasse mal.

Independentemente de qual das duas teorias seja a correta, a verdade é que até aos dias de hoje se afinam as orquestras tendo como base o oboé.

Vejamos agora um vídeo de um oboísta da Orquestra Gulbenkian que nos explica mais um pouco sobre este instrumento musical fascinante.

O que faz um Oboísta?

O oboísta toca oboé em orquestras (sinfónicas, filarmónicas…) e outros projetos musicais (principalmente mais alternativos) que incluam este instrumento nas suas composições.

Embora seja da mesma família que a flauta, saxofone e clarinete, ele não é tão usado em estilos e géneros musicais mais populares (embora esteja presente, por exemplo, na MPB).

Como este instrumento musical é conhecido como o mais difícil de tocar dentro dos instrumentos de sopro, o instrumentista que toca oboé tem de dedicar a sua vida ao estudo e treino contínuo.

Portanto, se quiseres seguir esta profissão, tens de ter uma rotina de estudo muito rígida, de várias horas por dia (mesmo que já saibas tocar muito bem).

Quais as suas funções

O oboísta tem como função principal tocar oboé em apresentações ao vivo, ou gravadas, em orquestra, seguindo as orientações do maestro (regente) e as partituras.

Para que os espetáculos decorram como o desejado, é fundamental que os instrumentistas treinem e ensaiem bastante. Esse trabalho é feito em casa (individualmente), mas também em grupo (quando todos os músicos se juntam, também com a presença do maestro).

Também é função dos oboístas darem as notas de referência para a afinação de toda a orquestra.

Além destas, o músico também tem de assegurar a manutenção e limpeza do instrumento, garantido que está em perfeito estado para as apresentações.

Nos dias de atuação, tal como os restantes músicos, ele tem de se deslocar para o local do concerto algumas horas mais cedo para que teste o som e se façam ajustes nos microfones e na mesa de som, por exemplo.

Saídas no Mercado de Trabalho

O oboísta consegue trabalho, regra geral, em orquestras. São muito poucos os projetos musicais fora de orquestras que contratem oboístas (embora também os haja).

Embora o sonho de pisar grandes palcos seja comum à maior parte dos músicos, existem outras possibilidades para quem quer trabalhar com música. Portanto, se não conseguires fazer parte de uma orquestra, ou se quiseres ganhar algum dinheiro extra, também podes atuar como:

  • Professor de música em escolas
  • Professor de oboé em conservatórios, academias e escolas de música
  • Dar aulas de oboé privadas, ou em grupo, em casa ou pela internet
  • Compositor (caso tenhas estudos de composição, e se tiveres gosto e talento para isso, podes criar músicas para outras pessoas)
  • Músico de sessão (irás gravar as partes de oboé para os álbuns de outros artistas)
  • Músico substituto

Como entrar na carreira de Oboísta?

Se queres seguir a profissão de oboísta, então não podes descartar os teus estudos na área da música. Para preencheres uma vaga numa orquestra, a tua formação musical é fator de seleção.

É indispensável que domines o instrumento, mas também tens de conhecer a teoria musical de forma aprofundada.

O ideal é que comeces a estudar desde criança ou adolescente, seguindo o ensino articulado em música. O curso superior de música é também um referencial, não só para entrares numa orquestra, mas também para te tornares professor de música ou compositor, por exemplo.

Onde estudar para ser Oboísta?

Como dissemos, os estudos superiores em música são essenciais para conseguires entrar para uma orquestra ou para seguires uma carreira como professor de música.

Sendo assim, deixamos-te aqui alguns cursos que te podem interessar. Ora espreita!

Portugal:

Brasil:

Se o teu sonho é fazer parte de uma orquestra como oboísta, ou ensinar a arte de tocar oboé aos mais novos, então investe na tua formação, pois ela vai fazer toda a diferença na tua carreira profissional. Nós desejamos-te muito sucesso ao longo da tua jornada.

Partilhar Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top