Oleiro

Oleiro

O oleiro é o profissional que trabalha o barro com as mãos. Estamos perante uma arte ancestral e que requer um grande nível de paciência, além de muito jeito manual para moldar o barro. Noutros tempos, já foi um ofício de prestígio, embora agora continue a cativar amantes de artesanato.

Outros nomes para esta profissão:

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: Mínimo - 1000€
  • Empregabilidade: Baixa
  • Empregabilidade: Trabalho Solitário, Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: História da Cultura e das Artes, Materiais e Tecnologias, Oficina de Artes, Química
  • Idiomas: Português

Trabalhar com as mãos no barro é o que define a profissão de oleiro. Estes profissionais trabalham quase só com as mãos, embora muitos usem a chamada roda do oleiro para moldarem vasos, jarros, pratos e outros objetos.

O oleiro é, acima de tudo, um artesão que precisa de ter grande habilidade manual, além de uma boa condição física, pois é uma profissão exigente a este nível.

No início da atividade, os oleiros menos experientes podem até fazer sangue a trabalhar com as mãos em argilas mais arenosas. Todavia, após ganharem experiência, também ganham calo e torna-se mais fácil.

Aproveite para espreitar como é o trabalho na roda do oleiro no vídeo que se segue…

Atualmente, não há muitos jovens a quererem ser oleiros, embora haja alguns interessados nesta arte, até porque tem um lado terapêutico, uma vez que ajuda a reduzir os níveis de stress e de ansiedade.

Mas na Idade Média, os oleiros eram muito respeitados. Por vezes, tornavam-se até figuras de confiança dos reis e dos senhores mais nobres que admiravam os seus trabalhos como verdadeiras obras de arte.

Quanto ganha um oleiro

Trabalhar na área do artesanato não é muito rentável. A maioria dos artesãos ganham pouco e têm rendimentos irregulares, consequentemente é difícil planear o futuro.

Há quem se dedique ao ofício como um hobby, para relaxar de trabalhos mais mentais e stressantes. Mas nalguns casos, o hobby torna-se numa segunda fonte de rendimento.

Quem está a começar nesta área, pode optar por essa alternativa, acumulando o hobby da olaria com uma profissão mais certa. É uma forma de ganhar experiência e de ir conseguindo clientes enquanto se sonha ser oleiro profissional.

O que faz um oleiro

O oleiro trabalha o barro, como já dissemos, para moldar objetos ou artefactos. Portanto, pode utilizar apenas as mãos ou usar também a roda do oleiro para modelar os objetos de forma mais fácil.

Este é considerado um dos ofícios mais antigos, uma vez que já na Pré-História, os humanos recorriam à olaria para fazerem recipientes para uso doméstico.

Um profissional de olaria pode trabalhar por conta própria e, assim, cria, modela e vende as suas próprias peças. Mas também pode fazer peças por encomenda, a pedido de clientes.

Estes clientes podem ser o público em geral, bem como um ceramista sem jeito ou tempo para moldar o barro ou até um designer de interiores que precise de uma peça muito particular.

Um oleiro também pode trabalhar em fábricas de produção de objetos de barro, como por exemplo, tijolos, realizando tarefas mais industriais.

Veja no vídeo que se segue o testemunho de um artesão português que aprendeu a arte da olaria para vencer o desemprego…

Quais as suas funções

O ofício de oleiro tem como função central a modelação do barro de forma manual. Ele pode utilizar a roda do oleiro para facilitar o trabalho, mas nunca pode prescindir da habilidade das mãos.

Contudo, as suas funções podem ir muito para lá desse trabalho criativo.

Nalguns casos, é o próprio oleiro quem procura e recolhe o melhor barro para trabalhar e, consequentemente, terá que tratar dele para ficar pronto para a modelação.

O barro ou a argila são a matéria-prima do oleiro. Portanto, com esses materiais ele fabrica tijolos, telhas, vasos, jarros, entre outros objetos de utilidade ou de decoração.

Além do jeito para moldar o barro e da mestria para manusear a roda de oleiro, também tem de tratar da cozedura das peças em fornos apropriados.

Por isso, precisa de ter conhecimentos do processo de cozedura, bem como dos materiais utilizados, já que, conforme a origem de cada tipo de barro ou de argila, as peças ficam com uma cor diferente após saírem do forno.

Diferença entre ceramista e oleiro

Há quem acredite que a profissão de ceramista e a de oleiro são a mesma coisa, mas não é assim. Venha entender as principais diferenças entre elas.

De forma simples, um ceramista pode fazer trabalhos de oleiro, mas um oleiro não faz, à partida, o trabalho de um ceramista.

O oleiro é quem faz o utensílio, moldando o barro, mas é com as técnicas de cerâmica que esse utensílio ganha decorações e elementos artísticos próprios.

Portanto, o trabalho de um ceramista é mais refinado e requer mais competências artísticas, nomeadamente para a pintura e a decoração.

Saídas no Mercado de Trabalho

Não há muitas saídas profissionais para oleiros, contudo eles podem trabalhar em empresas da indústria, como por exemplo, em fábricas de cerâmica, em atelieres de arte ou em olarias.

Alguns optam por trabalhar por conta própria, já que não há assim tantas oportunidades de emprego.

Além de fazerem as suas próprias peças e de as venderem, os oleiros podem ainda dar formação na arte que praticam.

Há workshops e cursos práticos realizados com frequência por atelieres e oficinas de artes que estão sempre a contratar formadores com experiência.

Trabalhar com outros artesãos, nomeadamente com ceramistas, é outra opção para os oleiros, já que permite compartilhar gastos e aproveitar as forças de terceiros para crescer.

Como entrar na carreira de oleiro

Não é preciso nenhum curso especial para trabalhar como oleiro, contudo é fundamental ter habilidade manual e conhecimentos das técnicas e ferramentas utilizadas nesta atividade.

Atualmente, tem havido um interesse crescente por atividades artesanais como a olaria, com muitos jovens a interessarem-se por estas áreas até como uma componente lúdica e terapêutica nas suas vidas invadidas de tecnologia.

Mas, muitas vezes, os oleiros começam como um hobby, só para fazer uma renda extra para lá do emprego normal ou para relaxar após as longas jornadas de trabalho.

Todavia, alguns passam do hobby a algo mais sério, investindo em atelieres próprios ou procurando firmar colaborações com outros artesãos e artistas. Essa pode ser uma excelente via para começar a dar os primeiros passos nesta área.

Onde estudar para oleiro

Os cursos na área da olaria são organizados a espaços por diversas entidades, por exemplo por atelieres e escolas de arte.

Mas a procura tem sido mais do que a oferta e, muitas vezes, esses cursos acabam completamente esgotados vários dias antes de arrancarem.

Assim, tem de prestar atenção às várias possibilidades que vão aparecendo, para não perder a oportunidade de se inscrever.

Deve procurar sempre formações com grande componente prática, pois, sendo uma atividade tão manual, é fundamental que ponha as mãos na massa, para desenvolver as suas habilidades.

Espreite, já de seguida, algumas opções de formação na área da olaria que podem ser do seu interesse…

Portugal:

Brasil:

Já tem umas noções sobre o que é ser oleiro e tudo o que implica desempenhar a profissão, assim só tem que ponderar bem o que quer mesmo para o seu futuro! Mas não se perca em demasiadas análises e deixe-se guiar pelo coração. Afinal, a paixão é meio caminho andado para o sucesso.

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima