Patologista Clínico

Patologista Clínico

O Patologista Clínico é o médico especialista em medicina laboratorial e é responsável por orientar todos os pedidos de exames de laboratórios, selecionar quais os métodos e técnicas mais adequados, e garantir a qualidade dos resultados obtidos. Ele também interpreta os resultados em contexto clínico-laboratorial.

Outros nomes para esta profissão: Médico Patologista Clínico, Médico Patologista, Patologista

  • Modalidades: Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 2000€ - Máximo
  • Empregabilidade: Alta
  • Empregabilidade: Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: Biologia, Física, Matemática, Materiais e Tecnologias, Química
  • Idiomas: Inglês, Português

A Patologia Clínica é uma especialidade médica fundamental no diagnóstico de várias doenças detetadas por meio de exames em amostras clínicas, mas também é fundamental para a prevenção e para o tratamento dessas doenças.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, mesmo dentro dos profissionais médicos, os médicos patologistas clínicos não são apenas profissionais que fazem exames laboratoriais. Sem dúvida, esta especialidade é muito abrangente, e o seu alcance vai bem mais além dos exames de laboratório.

Este especialista é essencial para todas as outras especialidades médicas, até porque ajuda os outros médicos a fazerem o diagnóstico clínico das doenças.

Sendo assim, a área da Patologia Clínica mostra-se um pilar para um diagnóstico rápido e precoce, mas também é fundamental para fazer um prognóstico da doença preciso, e uma monitorização da evolução da doença correta.

Se ainda estás na dúvida sobre qual especialidade médica seguir, então continua connosco e descobre tudo o que faz este profissional, quais são as saídas no mercado de trabalho, e o percurso académico que tens de seguir!

O que faz um Patologista Clínico?

O patologista clínico é o médico que se especializou em análises clínicas e trabalha na prevenção, assim como no diagnóstico de doenças.

A partir dos exames realizados com as amostras clínicas, é possível fazer um diagnóstico correto e escolher o melhor tratamento a seguir. Além disso, através destes exames, os médicos conseguem monitorizar as doenças.

Se optares por esta especialidade, serás responsável por:

  • Orientar pedidos de exames laboratoriais
  • Selecionar os métodos e as técnicas mais adequados
  • Assegurar a qualidade dos resultados dos exames feitos no laboratório
  • Interpretar os resultados dos testes, auxiliando na tomada de decisão acerca do melhor tratamento ou prevenção da doença

Embora existam países em que este cargo é assumido por outros profissionais não-médicos, a verdade é que estes não têm os conhecimentos necessários para uma abordagem correta.

Como patologista clínico, tens a mesma formação médica que o médico que solicitou os exames laboratoriais. Por isso, consegues comunicar com os teus colegas de forma eficaz e és capaz de comunicar-lhes sempre que se apresentem resultados atípicos.

Além disso, terás os conhecimentos necessários para saber qual a metodologia mais adequada para cada um dos casos, e saberás interpretar os resultados obtidos.

Quais as suas funções

O médico patologista clínico tem várias funções, as quais variam desde atividades administrativas até técnicas.

Sem dúvida, esta é uma especialidade muito interessante, exatamente pela sua abrangência, mas também se mostra desafiante, pela necessidade de usar tecnologia de ponta, o que implica uma constante atualização de conhecimentos.

De entre as várias funções deste médico especialista, destacamos, por exemplo:

  • Planear e organizar as atividades de todos os colaboradores a trabalhar no laboratório
  • Coordenar e fazer o controlo das atividades levadas a cabo no laboratório
  • Implementar os melhores procedimentos técnicos no laboratório
  • Implementar procedimentos administrativos adequados no laboratório
  • Selecionar as melhores técnicas a serem usadas
  • Propor novas técnicas a serem implementadas
  • Fazer estudos de investigação na área
  • Implementar medidas de segurança no laboratório
  • Fazer o controlo de qualidade nos processos
  • Interpretar os resultados obtidos nos exames laboratoriais

Saídas no Mercado de Trabalho

Assim como qualquer especialidade médica, o patologista clínico encontra várias oportunidades de emprego. De facto, existe falta de profissionais qualificados na área e, por isso, o desemprego é inexistente.

Como este é um cenário comum à maioria dos países em todo o mundo, existem boas oportunidades de carreira no estrangeiro, como por exemplo em países europeus e nos Estados Unidos da América.

Se optares por fazer a tua especialização em Patologia Clínica, podes trabalhar em hospitais públicos, hospitais privados, assim como em laboratórios clínicos.

A carreira académica é, sem dúvida, uma opção. Poderás dar aulas para os alunos do curso de medicina, ou para alunos de cursos da área da saúde. A investigação e pesquisa também podem fazer parte do teu trabalho, não só nas universidades, assim como em institutos e laboratórios destinados à investigação nessa área.

Como entrar na carreira de Patologista Clínico

Em Portugal, para entrares na carreira de Patologista Clínico, precisas concluir o mestrado integrado em Medicina, o qual tem duração de 6 anos. Depois tens de fazer um ano de internato médico comum a todas as especialidades, e só depois entras no internato médico da especialidade em Patologia Clínica (48 meses).

O internato da especialidade consiste em estágios em:

  • Formação básica (1 mês)
  • Química Clínica ( 9 meses de laboratório e 3 meses de clínica)
  • Hematologia (10 meses de laboratório e 2 meses de clínica)
  • Microbiologia (10 meses de laboratório e 2 meses de clínica)
  • Imunologia (5 meses de laboratório 2 meses de clínica)
  • Citogenética, Genética Bioquímica e Molecular (4 meses)

Para atuar como médico patologista clínico, é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Médicos.

No Brasil, assim como em Portugal, tem de concluir a faculdade de Medicina, com duração de 6 anos, e depois fazer a residência médica na especialidade de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (3 anos), de acesso direto.

O residente atua em enfermarias e ambulatórios de clínica médica, urgências, obstetrícia, ginecologia e pediatria. Tem também treinamento em estatística, epidemiologia, gestão de laboratórios clínicos e informática médica.

Após a conclusão da especialização, precisa registrar-se no Conselho Federal de Medicina (CFM) para poder ser considerado especialista. É obrigatório, sempre, o registro dos certificados nos Conselhos de Medicina no estado em que atua para conseguir o Registro de Qualificação de Especialista (RQE).

Onde estudar Medicina

Portugal:

Brasil:

Se quiseres ser um patologista clínico de sucesso, vais ter de dedicar-te ao longo de todos os anos de estudo, mas não poderás deixar de estudar nunca! Os avanços na tecnologia assim o exigem, mas é também isso que torna esta profissão tão fascinante!

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima