Vigilante da Natureza / Guarda-Parques

Vigilante da Natureza - Guarda-Parques

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Presencial, Ar Livre

Ordenado Médio Mensal:

Mínimo - 1000€

Empregabilidade:

Baixa

Disciplinas do secundario:

Biologia Educação Física Geografia

Idiomas:

Português

O/A Vigilante da Natureza ou Guarda-Parques é o guardião do meio ambiente. Assim, o seu trabalho passa por proteger a natureza, por exemplo de incêndios, vigiando áreas protegidas e parques naturais.

Mas vem daí saber mais sobre essa profissão tão desafiante…

Há quem diga que essa é “a melhor profissão do mundo”! É uma forma de dizer que é um serviço público pela humanidade e pelo futuro do nosso planeta. Na verdade, o papel dos Vigilantes da Natureza está focado na proteção e conservação da natureza.

Assim, cabe aos Guarda-Parques, o nome que é dado à profissão no Brasil, proteger as espécies e o meio ambiente. Portanto, são os verdadeiros guardiões do ecossistema natural e da biodiversidade.

Nesse processo de proteção do património natural de todos, é preciso ter muita paixão pela natureza. Além disso, o trabalho é feito sobretudo ao ar livre, o que exige também uma boa condição física.

A ideia dos Vigilantes de Natureza vem dos tempos do Rei William de Inglaterra que reinou no Século XI. Conhecido como “Conquistador”, ele nomeou “guardiões” para cuidarem dos seus bosques. Mas daí até ao aparecimento da profissão passaram-se ainda mais uns Séculos.

Em 1992, surgiram os “Rangers” nos EUA para vigiar os parques naturais do país. Contudo, esses profissionais só foram reconhecidos, a nível mundial, em 2006. Foi durante um congresso da Federação Internacional de Guarda Florestal na Escócia.

Mas fica connosco para saberes mais sobre o mundo desses profissionais…

Quanto ganha um Vigilante da Natureza

O salário de um/uma Vigilante da Natureza é básico, rondando os valores mínimos permitidos por lei. Contudo, há vários suplementos ao ordenado que podem ajudar a aumentar o valor recebido ao fim do mês.

Há, por exemplo, os chamados subsídios de risco para compensar imprevistos e situações mais arriscadas associadas à profissão.

Além disso, podem ainda existir ajudas de custo, por exemplo, para apoiar deslocações para longe das suas residências.

Contudo, tens de perceber que o atrativo dessa profissão não é o dinheiro. Repara que o contacto permanente com a natureza e a satisfação por estar a contribuir pelo bem da humanidade também trazem compensações.

O que faz um Guarda-Parques

O trabalho de um Vigilante da Natureza ou Guarda-Parques passa por garantir a vigilância e a fiscalização de parques naturais ou áreas protegidas. É, portanto, um papel de prevenção e de proteção da natureza.

Mas a sua missão abrange diversas áreas, por exemplo, a monitorização de espécies, dos habitats e dos incêndios florestais. Nesse âmbito, o seu papel é determinante na deteção e no pronto combate aos fogos.

Contudo, o trabalho também pode implicar acompanhar visitantes na realização de trilhos. Assim, terá de encaminhá-los da melhor forma no contacto direto com a natureza, por exemplo, dando indicações sobre a fauna e a flora presentes.

Assim, o Guarda-Parques contribui para a conservação do meio ambiente e para a sensibilização das pessoas para essa causa. Mas também faz a ligação entre as instituições e as populações rurais, por exemplo ajudando-as a cumprir e a entender as leis ambientais.

No entanto, pode ainda participar em ações de educação ambiental ou ajudar investigadores no trabalho de campo.

Portanto, é sobretudo uma missão de serviço público em prol do ambiente. Desse modo, o/a Vigilante da Natureza precisa de ter um determinado perfil pessoal. E é fundamental que esteja empenhado nas questões ambientais.

Diferença entre Guarda Florestal e Guarda-Parques

Há muitas vezes alguma confusão entre o papel de um Guarda-Parques e a função do Guarda Florestal. Mas mesmo que haja pontos de toque entre as duas profissões, há aspetos relevantes a distingui-las.

Assim, um Guarda Florestal é mais visto como um polícia, pois pode ter de conduzir investigações no âmbito de incêndios, por exemplo.

Em contrapartida, o papel do Vigilante da Natureza é sobretudo de prevenção e supervisão.

Diferença entre Sapador Florestal e Vigilante da Natureza

Todavia, há ainda outra profissão que se pode confundir com a de Vigilante da Natureza. Estamos a falar do Sapador Florestal. Mas repara que também são profissões com estatutos e funções distintas.

Assim, o Sapador Florestal trata sobretudo da limpeza do espaço florestal. Contudo, também atua na prevenção de incêndios e ajuda a combatê-los.

Portanto, o papel do Vigilante da Natureza fica-se mais pela vigilância e supervisão em si e não tanto por ações no terreno.

Mas continua a ler para saberes mais sobre o que faz esse profissional…

Quais as suas funções

O Guarda-Parques ou Vigilante da Natureza é, no fundo, o guardião e fiscal do meio-ambiente. Assim, atua para zelar por espécies, habitats, ecossistemas e pelo património natural em geral.

Portanto, o seu trabalho passa pela proteção e conservação da natureza, como já dissemos e repetimos. Mas nunca é pouco reforçar esse serviço público essencial dessa profissão.

Contudo, as funções dos “rangers” da natureza podem ser muitas e até implicar algum trabalho de escritório. Porém, a maioria das funções são exercidas ao ar livre.

Assim, vamos resumir de seguida algumas dessas funções mais importantes que os/as Vigilantes da Natureza executam no seu dia-a-dia:

  • Garantir o cumprimento das leis
  • Fiscalizar e vigiar áreas protegidas e parques naturais
  • Educar para a proteção do ambiente
  • Seguir espécies selvagens e habitats
  • Recuperar fauna selvagem
  • Avaliar danos na fauna e fazer peritagens
  • Vigiar caça e pesca em áreas protegidas
  • Verificar licenças e fazer inspeções
  • Fazer censos de espécies
  • Controlar pragas e doenças
  • Fiscalizar e controlar resíduos
  • Identificar e registar fontes de poluição
  • Vigiar recursos hídricos e qualidade da água
  • Inspecionar praias e arribas
  • Colaborar em programas de proteção de espécies ameaçadas
  • Manter bases de dados atualizadas
  • Detetar incêndios florestais
  • Recolher elementos no terreno para pesquisas científicas
  • Acompanhar e informar visitantes de áreas protegidas ou parques.

Guarda-Parques trabalha todo o ano

Antes de decidires seguir essa carreira, deves perceber que é uma profissão que nunca tem descanso. Assim, mesmo no Inverno, é preciso assegurar o serviço.

Portanto, tens de estar pronto/a para enfrentar dias de frio e de calor intensos, conforme os casos.

Além disso, a profissão tem “carácter permanente e obrigatório”. Isso significa que podes ser chamado a intervir, mesmo em dias de folga ou de descanso. Repara que isso acontece, sobretudo, durante grandes incêndios florestais em que toda a ajuda é pouca.

Por outro lado, tens também de usar farda oficial adequada. Além disso, precisas de ter sempre o teu cartão de identificação à mão, pois é o que te dá a “autoridade” de guardião da natureza.

Agora que já sabes o que esse profissional faz, vem saber como podes trabalhar nessa área…

Saídas no Mercado de Trabalho

Os Vigilantes da Natureza são, por norma, funcionários públicos. Portanto, só podem ser contratados por entidades do Estado.

Contudo, alguns países têm Parques Naturais privados ou geridos por empresas privadas que também contratam Guarda-Parques.

Mas esse não é o caso de Portugal. Assim, os Vigilantes de Natureza são contratados pelas Direções Regionais de Conservação da Naturezaou pelo próprio Instituto da Conservação da Natureza.

Todavia, também podem ser contratados pelos Parques Naturais ou pelas entidades gestoras das Áreas Protegidas.

O que é certo é que as contratações são feitas através de concursos públicos. Mas as vagas abertas são limitadas. As associações do setor queixam-se de que faltam profissionais para todo o território natural. Mas cabe aos Estados decidir quantos Vigilantes da Natureza pretende contratar.

O facto de os profissionais no ativo serem cada vez mais velhos é preocupante. Mas também é uma oportunidade. Assim, muitos estão em vias de se reformar, o que pode abrir novas vagas aos mais jovens.

Repara que, durante vários anos, os jovens não se interessaram pela profissão. Contudo, com o crescer das preocupações ambientais, tem havido um interesse maior por essa área.

Como entrar na carreira de Vigilante da Natureza

A melhor forma de iniciar uma carreira como Vigilante da Natureza é a colocação através de concursos públicos. Mas não há um percurso rígido e pré-definido para lá chegar.

Há, por vezes, pessoas que fazem formação académica nas áreas da Biologia ou da Ecologia. Mas, a dado momento, resolvem abraçar uma profissão em contacto mais próximo com a natureza. Assim surge-lhes no caminho a atividade de Guarda-Parques.

Mas também é preciso ver que há critérios específicos que é preciso cumprir para entrar na profissão. Vamos agora falar um pouco disso…

Como ser Guarda-Parques no Brasil

Em certos países, é preciso um curso específico para ser Guarda-Parques. Mas isso não acontece no Brasil, onde não há requisitos académicos para entrar na profissão.

Contudo, há organizações do Governo e também do setor privado que realizam cursos para Guarda-Parques. Portanto, essa pode ser uma boa via para começar uma carreira na área.

Além disso, nos concursos públicos de acesso, é preciso fazer provas teóricas e práticas. Mas também se valoriza a experiência no setor ambiental. Por outro lado, ter um curso em áreas como Ecologia, Educação Ambiental e Gestão de Áreas Protegidas, dá pontos extra.

A seleção é feita com base nas provas e numa fase de classificação que tem em conta esses aspetos, mas também valoriza outro tipo de formações. Assim, será uma mais-valia ter cursos de Brigadista, de Bombeiro ou de Mergulhador, entre outros.

Como ser Vigilante da Natureza em Portugal

A entrada na profissão em Portugal ocorre apenas por via de concursos públicos.

Os profissionais costumam começar como estagiários. Mas podem depois progredir na carreira até ao patamar máximo que é o de Vigilante da Natureza Especialista.

No entanto, há critérios definidos para se poder entrar nos concursos públicos. Assim, esses requisitos principais costumam ser os seguintes:

  • Nacionalidade portuguesa (salvo exceções)
  • 18 anos completos
  • 12º ano de escolaridade feito (como mínimo)
  • Boa condição física
  • Perfil psicológico adequado
  • Vacinas obrigatórias em dia.

Contudo, além desses pontos, nalguns casos especiais, também pode ser necessário preencher os seguintes critérios:

  • Carta de condução
  • Menos de 30 anos
  • Curso tecnológico adequado.

A seleção dos candidatos é feita através de provas gerais e específicas, de um exame psicológico e de uma entrevista profissional.

As candidaturas são apresentadas no Instituto da Conservação da Natureza com a indicação do concurso público respetivo.

Onde estudar para Vigilante da Natureza

Não existem cursos próprios para Vigilantes da Natureza ou Guarda-Parques. Contudo, há formações feitas pelas entidades estatais que costumam contratar esses profissionais.

Na verdade, essas formações servem como forma de recrutar novos rangers da natureza. Portanto, são sempre uma boa escolha para dar os primeiros passos nessa atividade.

Contudo, enquanto não há novos concursos públicos a abrir, deves apostar na formação. Assim, opta por cursos e workshops nas áreas do ambiente e da ecologia, pois valorizam o teu perfil como candidato.

Desse modo, fica atento/a às informações das associações do setor – é que têm acesso em primeira mão a tudo o que importa saber sobre a carreira dos Vigilantes da Natureza. Fica com os links dessas associações já de seguida…

Portugal:

Brasil:

Agora que já sabes o que faz um Vigilante da Natureza ou um Guarda-Parques, sentes que tens o que é preciso para o ofício? Repara que precisas de amar a natureza para poderes trabalhar debaixo de sol e chuva a cuidar dela. Qualquer que seja a tua escolha, desejamos-te muito sucesso.

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top