Compositor

Compositor

O Compositor é o profissional que cria músicas, sejam elas de que género musical forem. Ele precisa saber escrever músicas, mas nem sempre as interpreta. Embora não seja obrigatória uma formação em Música para seguir esta carreira, ajuda bastante no desempenho das suas funções, além de permitir um crescimento mais sustentável na profissão. 

Outros nomes para esta profissão:

  • Modalidades: Teletrabalho, Presencial
  • Ordenado Médio Mensal: 1000€ - 1500€
  • Empregabilidade: Baixa
  • Empregabilidade: Trabalho Solitário, Trabalho em Equipa
  • Disciplinas do Secundário/ensino médio: História da Cultura e das Artes, Línguas, Matemática, Multimédia, Oficina de Artes
  • Idiomas: Inglês, Português

Os compositores vivem muito de contactos, por essa razão, a frequência numa faculdade de música é fundamental, especialmente aquelas que são uma referência no meio musical. 

Apesar de ser uma realidade difícil, é possível viver de música, ou desempenhar estas funções em tempo parcial. Empenho, dedicação, muito trabalho e, preferencialmente, conhecimentos no meio, são fundamentais para construir esta carreira. 

Se o seu sonho é tornar-se compositor, veja aqui o que precisa fazer para entrar nesta carreira, quais as melhores escolhas, aquilo que terá de fazer no seu dia a dia, e quais as opções que tem no mercado de trabalho. Confira!

O que faz um compositor?

O compositor escreve música, geralmente usando o sistema de notação musical, o qual permite que outros músicos possam interpretá-la. No entanto, é possível ser-se compositor sem o conhecimento deste sistema, especialmente quando falamos de géneros musicais menos eruditos. Neste caso, os compositores transmitem a música através da memorização, demonstração e repetição. 

Ao criar a música, este profissional é o autor da mesma e, por isso, é o detentor dos direitos de autor. 

Os compositores geralmente recebem ‘royalties’ pela transmissão da sua música, quer seja na rádio, na televisão, ao vivo, entre outras plataformas. 

Quais as suas funções

Os compositores podem desempenhar diversas funções, sendo que a base é sempre a composição e escrita de obras musicais, independentemente do estilo e género musical, para serem interpretadas por conjuntos ou solistas.

O seu trabalho implica a conceção de ritmos, melodias, harmonias e timbres. Em música erudita, obrigatoriamente, os compositores precisam passar todos esses elementos para a pauta, usando a simbologia específica. 

O compositor também pode fazer arranjos musicais de obras musicais já escritas por outros autores, e podem, ainda, fazer transcrições de obras de autores. 

Este profissional também pode orquestrar melodias e peças escritas por outros compositores. 

Saídas no Mercado de Trabalho

Portugal:

O mercado de trabalho para o compositor é muito amplo, pois pode atuar em diversas áreas. No entanto, devemos dizer que em Portugal a música, no sentido lato da profissão, é muito ingrata. 

De facto, o país ainda apoia pouco o trabalho dos artistas, até porque a cultura é desvalorizada. Tem havido, sem dúvida, uma tentativa de mudança nesse sentido, mas ainda ténue, o que coloca estes profissionais numa posição muito ingrata. 

Muitas vezes, os artistas acabam por ter um emprego principal, atuando na música como part-time. O mesmo se passa em todos os aspetos culturais, como o teatro, o cinema, as artes visuais, a literatura, entre outros. 

Embora possa ser contratado para editoras, escrevendo músicas, ou trechos musicais, para os artistas das editoras, para televisão, cinema, entre outros, o mais usual é que desempenhe um trabalho como freelancer, vendendo parte ou a totalidade dos direitos de autor da sua obra. 

Brasil:

O mercado de trabalho para o compositor é vasto, mas o mais lucrativo continua a ser o contrato com editoras musicais. Poderá fazer três tipos de contrato com as editoras, e os seus rendimentos variam de acordo com esse contrato. 

Quando mantém um acordo de administração, receberá a totalidade da propriedade dos direitos autorais. Depois dá uma porcentagem entre 5 a 20% de cota ao editor por um período de tempo determinado (por norma, varia de 1 a 3 anos). 

Pode optar, ainda, por um acordo de co-edição, recebendo 100% da cota de compositor, mas cedendo 50% da cota de editor. 

Existe também a possibilidade de fazer um acordo de encomenda. Neste caso, não recebe direitos autorais, pois vende a totalidade da obra. 

Como entrar na carreira de Compositor

Em Portugal, para ser compositor não é obrigatória uma formação superior ou técnica. No entanto, se quisermos fazer uma carreira sólida, especialmente na área da música erudita, é fundamental conhecimentos profundos de música, especialmente composição.

Sendo assim, aconselha-se a que os jovens que queiram seguir uma carreira musical, seja ela de composição, ou não, frequentem, desde cedo, o conservatório de música. 

Mais tarde, poderá optar pela licenciatura em Música, com especialização em Composição. 

Esta licenciatura dá-lhe uma base teórica e prática muito boa, fundamental para a sua evolução como compositor. 

Além disso, nas faculdades de música e nos conservatórios, vai fazer contactos fundamentais para crescer profissionalmente. Lembramos que esta profissão acaba por ser um pouco ingrata, principalmente porque não é, ainda, muito valorizada socialmente. Então, se temos os conhecimentos certos, acabamos por conseguir melhores trabalhos e oportunidades. 

O profissional precisa também estar inscrito na Sociedade Portuguesa de Autores, de forma a receber os direitos de autor das suas obras.

No Brasil, precisa ter uma carteira profissional de compositor para poder registrar as músicas e contatar com os órgãos reguladores, os quais são responsáveis por endereçar os direitos autorais. Poderá pedir esta carteira profissional online, tendo disponíveis várias instituições que facultam essa carteira, como MusicasRegistradas.

Apesar de não ser obrigatória a formação na área, também é aconselhável uma formação em Música, com especial destaque para a área da composição. 

Além da faculdade de música, é possível fazer cursos específicos para desenvolver a técnica de composição, fundamental para crescer na profissão.

Onde estudar Música

Portugal:

Brasil:

Se sonha em ser compositor, não desista! Sabemos que não é um caminho nada fácil. Terá muitas vezes vontade de deixar tudo para trás, mas a verdade é que, quando fazemos aquilo que amamos, vale sempre a pena! 

Partilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima