Faquir

Faquir

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Presencial

Ordenado Médio Mensal:

1000€ - 1500€

Empregabilidade:

Baixa

Disciplinas do secundario:

Biologia Educação Física Educação Moral e Religiosa Filosofia Oficina de Artes

Idiomas:

Inglês, Português

O faquir (faquiresa) é um artista que consegue praticar atos de resistência à dor sem qualquer sinal de sofrimento. Falamos, por exemplo, de engolir uma espada ou andar sobre brasas. Embora muitos considerem estes números como magia, na verdade falamos de faquirismo.

Esta é uma profissão artística, mas não deixa de ter o seu grau de risco. Afinal de contas, falamos de números que implicam infligir dor e que, se não forem feitos corretamente, podem realmente causar lesões.

Portanto, se estás a pensar seguir esta profissão, tens de saber, desde logo, que existem riscos e que vais precisar treinar muito até conseguires adquirir a técnica para fazer estes números.

Neste artigo vamos mostrar-te um pouco sobre esta profissão, como é a rotina de trabalho, quais são as saídas no mercado de trabalho, e o que precisas fazer para entrar nesta carreira cheia de magia e mistério.

Vamos?

O que é um faquir?

O faquir é um artista que usa a sua resistência à dor para fazer um espetáculo e entreter o seu público. Estes números artísticos são conseguidos aplicando uma técnica própria que permite fazê-los sem sentir dor, ou sem transmitir nenhum sinal de sofrimento para os outros.

Apesar de todos nós, em algum momento da vida, termos visto um artista a andar sobre brasas, deitar-se numa cama de pregos ou a engolir uma espada, muitas pessoas ainda se perguntam o que significa faquir.

A verdade é que a maioria das pessoas associa este tipo de número aos mágicos, erradamente. Para ficares devidamente esclarecido, vamos dar-te um breve enquadramento desta profissão.

Ora vê!

Significado de faquir

Na sua origem, a palavra faquir estava associada ao islamismo. Dizia respeito aos dervixes sufis, os quais eram eremitas que viviam da ajuda dos outros.

Só na era Mugal da Índia é que esta palavra árabe, que significa “pobreza”, passou a ser usada pelas elites islâmicas para se remeterem à necessidade espiritual de Deus. Foi precisamente aqui que esta palavra adquiriu um sentido místico.

Passou, então, a ser usada quando se referiam aos milagreiros sombrios sufistas. Ao longo do tempo, este termo passou a ser usado para ascetas do hinduísmo.

O termo que hoje usamos está mais associado às palavras “alfaqui” (espanhol), que significa “médico ou sacerdote muçulmano”, “Al Faqih (árabe), a qual significa “teólogo e jurista”. Estas “entidades” são pessoas sábias, que sabem muito de medicina, mas também de filosofia.

Agora que já sabes um pouco mais sobre a palavra faquir, está na hora de saber como é o trabalho e o dia a dia.

Curioso?

Então segue connosco!

O que faz um faquir?

O faquir trabalha com números artísticos que desafiam os limites do seu próprio corpo e mente. Este artista consegue fazer atos de resistência à dor sem qualquer sinal de sofrimento aos olhos dos outros, embora pareça surreal à maior parte de nós e, por isso, pensamos que se trata de magia.

De facto, os faquires trabalham sempre no limiar do que a maior parte das pessoas acredita ser possível. Por exemplo, engolir uma faca sem que hajam consequências sérias é algo que ninguém pensa ser possível. Mas os faquires conseguem fazê-lo.

Embora muitos associem estes atos a algo sobrenatural, tudo acontece na mente do artista. A nossa mente tem, com toda a certeza, uma grande influência no corpo físico. E é aqui que está o segredo do faquir.

É claro que não é de um dia para o outro que se consegue engolir uma espada, ou deitar numa cama de pregos. É algo que exige muita disciplina, trabalho e treino.

Apesar de associarmos os faquires aos indianos e orientais, na generalidade, já existem faquires de várias nacionalidades, os quais descobriram o poder das suas mentes e procuraram conhecimentos que os pudessem ajudar a executar estes números.

É o caso dos artistas:

  • Marco Patrocínio (português)
  • Mirin Dajo (holandês)
  • Ben-ghou Bey (francês)

Quais as suas funções

O faquir tem como principal função entreter e envolver o público com os seus números de faquirismo (técnica usada pelos faquires para controlarem o seu corpo, especialmente a respiração e os músculos de todo o corpo).

O domínio total da mente é o segredo do sucesso dos faquires. É assim que eles conseguem realizar atos perigosos sem causarem ferimentos, como reduzir o próprio batimento cardíaco, atravessar o corpo com agulhas compridas, entre outros.

Dominar a técnica do faquirismo é essencial, mas é de grande importância, da mesma forma, ter um alto poder de concentração.

De entre os números de faquirismo mais conhecidos, destacamos aqui:

  • Cama de pregos
  • Andar sobre brasas
  • Engolir uma espada

Saídas no mercado de trabalho

Como faquir, podes trabalhar como um artista, fazendo os teus próprios espetáculos para pequenas e grandes plateias. Além disso, podes fazer parte do grupo de artistas de um circo. Nos dois casos, é uma profissão que não é fácil porque não existe um grande mercado para ela.

Espetáculos de faquirismo são pouco requisitados. Por isso, será mais fácil encontrares espaço num circo.

Os salários não são altos e vais ter de te habituar à vida itinerante dos artistas de circo. No entanto, se realmente gostas desta arte, vale a pena lutares pelo teu sonho.

Como entrar na carreira de faquir?

Se queres entrar na carreira de faquir, então pensa desde já em como aprender a controlar a tua mente. Geralmente, os faquires aprendem esta técnica com os pais, avós ou mestres. Não existe nenhum curso que ensine o faquirismo. Por isso tens de encontrar alguém que te passe o conhecimento.

Se não houver ninguém na tua família que seja faquir, é importante conseguires aprender a técnica com alguém que tenha experiência e que se disponha a ensinar-te e treinar-te.

Onde estudar para faquir?

Infelizmente, não existe nenhum curso que te ensine o faquirismo. Se, por um lado, existem poucas pessoas a dominar a técnica, também existem poucas pessoas que queiram ser faquir. Por isso, se queres realmente aprender, vais ter de procurar um mestre, como te dissemos anteriormente.

Não acredites em cursos online nem tentes fazer tudo por conta própria. O risco de te magoares é grande se não souberes como dominar a mente e todos os “truques” por trás do faquirismo.

Procura alguém experiente, que te oriente e ensine todos os detalhes desta profissão. Nós, do Guia das Profissões, só podemos desejar-te toda a sorte e sucesso deste mundo.

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top