Guia de Turismo Equestre

Guia de Turismo Equestre

Mais sobre a profissão

Modalidades:

Presencial, Ar Livre

Ordenado Médio Mensal:

Mínimo - 1000€

Empregabilidade:

Baixa

Disciplinas do secundario:

Educação Física História História da Cultura e das Artes

Idiomas:

Inglês, Português

O Guia de Turismo Equestre também é conhecido como Acompanhante de Turismo Equestre. Trata-se do profissional que prepara, organiza e acompanha passeios com cavalos e experiências equestres numa vertente turística. Fica connosco para saber tudo da profissão…

O Turismo Equestre desenvolve-se com a realização de atividades de lazer com cavalos. Há uma série de ofertas turísticas neste âmbito, desde passeios na praia a cavalgadas na montanha. Mas este setor ainda está inexplorado em países como Portugal e Brasil.

Estamos falando de um nicho dentro da grande bolha do turismo que tem muito potencial. Até porque pode atrair um tipo de turista que pode gastar mais. Assim, é uma boa área para investir.

Portanto, se queres ser Guia de Turismo Equestre é um bom investimento de futuro. Mas há certos fatores que importa considerar.

Desta forma, além de gostar de cavalos, deves ainda dominar a equitação e gostar da vida ao ar livre.

Mas vem descobrir tudo sobre essa profissão…

Quanto ganha um Guia de Turismo Equestre

Os rendimentos no setor turístico são sempre imprevisíveis. Portanto, também é difícil avançar valores quanto aos salários médios de um Guia de Turismo Equestre.

Porém, deves ter em conta que o ordenado depende das horas dedicadas à atividade, bem como do tipo de trabalho a fazer.

Em algumas empresas turísticas, os guias trabalham a meio tempo enquanto têm profissões noutras áreas. Assim, é complicado traçar uma média salarial.

Contudo, as pessoas que trabalham neste setor fazem-no mais por paixão do que pelo dinheiro. Ora, se te falta essa paixão, mais vale procurares outra profissão.

Continua a ler para saberes mais sobre essa área…

O que faz um Acompanhante de Turismo Equestre

Os guias na área do Turismo Equestre têm por dever tirar o maior partido possível dos cavalos em conjunto com a natureza, a cultura, as tradições e a gastronomia locais.

Assim, têm um papel semelhante a um Guia de Ecoturismo, mas com os cavalos como ponto diferenciador.

Portanto, um Guia de Turismo Equestre pode planear e organizar passeios a cavalo por campos, praias e montanhas, mas com paragens em locais perfeitos, para lanchar ou fazer piqueniques em comunhão com a natureza.

Pelo meio, o guia pode proporcionar o convívio com as comunidades e cultura locais.

O seu trabalho passa ainda por realizar trajetos ou enduros a cavalo, seja a marchar ou a galope. Mas pode ainda promover cavalgadas noturnas e ecológicas, durante umas horas ou por mais do que um dia.

Contudo, o papel do Acompanhante de Turismo Equestre é mais do que apenas passear. A ideia é proporcionar experiências únicas e aventuras para mais tarde recordar.

No meio do lazer equestre, o cavalo pode ser só o meio de transporte ou o grande atrativo.

Tipos de Turismo Equestre

Essa atividade turística divide-se conforme o cavalo surge no seu âmbito. Assim, podemos falar de dois tipos de Turismo Equestre:

  • 1 – Turismo a cavalo – quando o turista pratica equitação ou faz deslocações a cavalo em passeios.
  • 2 – Turismo do cavalo – atividades equestres, como, por exemplo, feiras e exposições, sem que o turista pratique equitação.

Como vês, é um trabalho bem diverso. Mas vem daí saber mais…

Quais as suas funções

No turismo em geral, o contato com as pessoas é essencial. E no Turismo Equestre não podia ser diferente! Mas aqui há ainda que contar com o importante contato com o cavalo.

Mesmo que o trabalho não seja tão aprofundado como no caso dos profissionais de Hipoterapia, por exemplo, é preciso reunir uma série de saberes técnicos sobre os animais.

Portanto, uma parte do trabalho dos Acompanhantes de Turismo Equestre passa por preparar os cavalos para os passeios e por saber reconhecer as suas personalidades próprias.

Mas a jornada passa por fazer uma série de funções diversas, como, por exemplo, as seguintes:

  • Planear e realizar passeios turísticos a cavalo
  • Organizar e participar em atividades equestres
  • Preparar os cavalos para os passeios
  • Fazer a manutenção e o maneio dos cavalos
  • Esclarecer os turistas sobre medidas de segurança e uso de equipamentos
  • Ensinar as melhores técnicas de equitação
  • Fazer relatórios das atividades
  • Preencher documentação.

Em países com grande potencial equestre, o profissional deve saber tirar partido disso. Por exemplo, em Portugal, o Turismo Equestre aproveita a riqueza de ter uma das raças de cavalos mais apreciadas do mundo – o Puro-Sangue Lusitano.

Portanto, o Guia de Turismo Equestre tem de saber usar o prestígio internacional desse cavalo português como um atrativo para os turistas. Assim, também precisa de ter competências de Marketing.

Dessa forma, pode criar diversas atividades, passando por explorar os encantos do meio rural, com quintas e casas antigas. Mas só o respirar ar puro sob um novo olhar por serras e matas é um bom cartão turístico.

Numa perspetiva mais romântica, pode criar percursos equestres com charretes puxadas por parelhas de cavalos.

Mas continua a ler para entender como entrar nesse mundo.

Saídas no Mercado de Trabalho

As áreas do Ecoturismo e do Turismo de Natureza estão em progressão em todo o mundo. Portanto, o Turismo Equestre é um nicho interessante para explorar neste âmbito.

Portugal e Brasil têm muito potencial turístico equestre, mas os seus mercados estão ainda pouco explorados. O setor, nos dois países, não está muito profissionalizado, o que abre a porta a novos profissionais qualificados.

A mão-de-obra qualificada pode ser a mais-valia que falta para o Turismo Equestre alavancar de vez nesses países.

Assim, investir na formação nesta área é uma ótima ideia para quem gosta de cavalos. Até porque há cada vez mais turistas interessados em viverem experiências equestres nas suas viagens.

Em termos de saídas, os Guias de Turismo Equestre podem trabalhar em centros hípicos com rotas e programas turísticos, mas também em hotéis fazenda ou em empresas turísticas.

A atividade pode estar inserida num ambiente rural, em parceria com Gestores de Turismo Rural interessados em acrescentarem valor às experiências dos seus visitantes. Portanto, há um variado leque de chances neste setor.

Como entrar no Turismo Equestre

A formação é um critério importante para trabalhar como Guia de Turismo Equestre. Pois o acesso à profissão só é permitido em função do cumprimento de uma série de requisitos.

Assim, em Portugal, por exemplo, a obtenção da certificação final de Guia de Turismo Equestre só é possível depois de fazer um curso específico.

Mas também é preciso realizar as provas finais com aproveitamento. Estamos falando de provas de maneio, de técnica equestre e de teoria.

Além disso, o acesso a estes cursos inclui pré-requisitos como, por exemplo, a escolaridade obrigatória, ter um Seguro da Federação Equestre, ter um cavalo próprio e cursos de Suporte Básico de Vida e de Inglês.

Portanto, estes dois cursos são também obrigatórios para a obter a certificação final de guia.

Vem daí descobrir mais sobre como aprender essa profissão.

Onde estudar para Guia de Turismo Equestre

Não há muitos cursos na área do Turismo Equestre. Porém, existem algumas boas opções com bons programas de aprendizado.

Nesta área, o essencial é escolher um curso reconhecido. Mas também é importante que aborde as principais vertentes da área, portanto o maneio geral e o Turismo Equestre.

Assim, para facilitar a tua escolha, deixamos-te algumas opções de cursos e de locais onde podes procurar formação…

Portugal:

Brasil:

Agora que já sabes o que é e o que faz um Guia de Turismo Equestre, já sabes o que queres fazer da tua vida? Esperamos ter ajudado na tua decisão. Mas pensa bem e não te precipites, pois só a confiança te levará longe. Só podemos desejar-te muito sucesso!

Partilhar Post

Deixa o teu testemunho

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top